CPI do Futebol encontra indícios de caixa dois envolvendo CBF nas eleições

Da Redação | 22/03/2016, 20h58 - ATUALIZADO EM 13/09/2016, 23h34

De posse dos documentos da quebra de sigilos bancários e fiscais dos membros da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Local Organizador da Copa do Mundo de 2014 (COL), os integrantes da CPI do Futebol devem votar na próxima semana ações para aprofundar as investigações na comissão.

Entre os documentos entregues ao colegiado, estão cópias de emails que levantaram a suspeita de que a CBF teria repassado recursos para a campanha do vice-presidente da entidade, Gustavo Feijó, durante as eleições municipais. Feijó é hoje prefeito de Boca da Mata, em Alagoas. Não há registro das doações junto à Justiça Eleitoral.

— Essa documentação, no meu entender, impõe à  Comissão Parlamentar de Inquérito a necessidade, a urgência do aprofundamento das investigações. A documentação mostra, entre outras, cartas da Fifa sobre empréstimos ao COL, resumos de fluxos financeiros do COL, planilhas de movimentação internacional do COL e planilha de pagamentos do bônus. Inclusive o pagamento de bônus abusivos, muito acima do que era previsto, contraditando, e também apresenta essa documentação contradições flagrantes com o depoimento de Marco Polo del Nero aqui. No meu entender, são elementos mais do que conducentes para se avançar nas suas investigações e ter novamente apreciados requerimentos sobre os temas aqui colocados — afirmou o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Os documentos analisados pela revelam repasses da FIFA ao no valor de mais de R$ 1 bilhão entre 2012 a 2015, além de R$ 51 mil para uma conta desconhecida na Ilha Canárias. Randolfe propõe a reconvocação do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, e de Gustavo Feijó. O presidente da comissão, senador Romário (PSB-RJ), marcou uma nova reunião para a próxima semana.

Com informações da Rádio Senado.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)