'Justiça não deu um golpe', avalia Cristovam Buarque

Da Redação | 18/03/2016, 12h13 - ATUALIZADO EM 18/03/2016, 16h56

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) disse nesta sexta-feira (18), em Plenário, que é preciso "casar a legalidade com a legitimidade" no momento que o país vive. Ele defendeu a Justiça brasileira, dizendo que ela não deu um golpe, mas ocupou o espaço que a sociedade precisa, por falta de atitude do Congresso Nacional.

— Nós fomos incapazes de definir regras que impedissem um partido no poder de destruir a Petrobras. Nós não definimos regras que impedissem que a Petrobras e outras estatais fossem aparelhadas por partido. Nós não mudamos as regras em tempo sobre financiamento de campanha. Aí vem a corrupção. Quer o que agora? Que a Justiça feche os olhos? Que a Justiça não prenda?  — afirmou.

Cristovam fez ainda uma reflexão sobre o que classificou como os principais erros do Partido dos Trabalhadores (PT). Para ele, o PT “perdeu o vigor transformador”, “caiu na mesmice da política”, tornou-se arrogante, ao achar que todos estão contra ele, e não ouviu a voz das ruas, nomeando o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva à chefia da Casa Civil. Cristovam concluiu dizendo que a situação atual não pode continuar por muito tempo e que o Senado deve estar preparado para o que vai acontecer após o processo de Impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)