Brasil não resolverá crise aumentando impostos, diz Walter Pinheiro

Da Redação e Da Rádio Senado | 16/02/2016, 17h38 - ATUALIZADO EM 16/02/2016, 17h42

O Brasil não vai resolver a crise econômica aumentando impostos. O alerta é senador Walter Pinheiro (PT-BA), que defendeu a adoção de medidas mais profundas que deem ao país condições para superar a crise econômica, como reforma do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), por exemplo.

Ele advertiu que de nada adiantará o Congresso Nacional aprovar dezenas de projetos se eles não tratarem de medidas que possam efetivamente ser implantadas e gerar os impactos desejados. Serão como algumas medidas já apresentadas pelo governo federal, como o plano de estímulo às exportações e à infraestrutura de logística que, como lembrou o senador, não tiveram efeitos práticos.

Walter Pinheiro defendeu que os senadores dediquem-se ao exame e votação de propostas da chamada pauta Brasil, apresentada pelo próprio Senado em  2013 e que está centrada em quatro eixos básicos: tributária e fiscal; infraestrutura; questão federativa e a geração de trabalho, emprego e renda.

— Estamos falando em deixar tudo como está para ver como é que fica. Eu tenho esta sensação. Não acredito que a gente vá dar passos significativos se não tiver a coragem de  botar o dedo na ferida, quer dizer, não vamos encontrar a saída para a economia achando que é só aumentando impostos, aumentando impostos e não mexendo, inclusive, na estrutura como um todo.

Walter Pinheiro também criticou a possível recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF). O que virou tábua de salvação será mais uma pá de cal na nossa economia, segundo o senador. Ele ainda lamentou que, neste momento de crise, quase todos os prefeitos tenham aumentado o ICMS. Isso retira o fôlego das empresas que ainda estão de pé, advertiu.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)