Vanessa Grazziotin diz que governo não vai acabar com a Farmácia Popular

Da Redação e Da Rádio Senado | 01/10/2015, 16h14 - ATUALIZADO EM 01/10/2015, 18h55

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)  afirmou que o governo não vai acabar com o Programa Farmácia Popular, que fornece medicamentos gratuitos para a população como anuncia a imprensa. Ela explicou que a nova proposta do Orçamento para 2016 corta apenas a parte do programa que garante remédios mais baratos.

Essa parte do programa subsidia uma lista de medicamentos, permitindo, assim, que um remédio que custa R$ 40, por exemplo, seja vendido por R$ 2 ou R$ 3. Sem esse subsídio, o remédio voltará a ser vendido pelo preço normal de mercado.

Vanessa Grazziotin disse que lutará para que esse corte seja revisto pelo Congresso Nacional durante a votação do Orçamento. Ela ressaltou que, caso contrário, muitas famílias não poderão comprar os remédios de que necessitam.

— Vivemos um problema econômico? Sem dúvida nenhuma. O Orçamento precisou sofrer cortes? Precisou, mas não podemos permitir que o corte seja feito aí.  Esse item garante medicamentos a preços acessíveis para o controle da doença de Parkinson, do glaucoma, da osteoporose, do colesterol, além de contraceptivos e de fraldas geriátricas.

Vanessa Grazziotin reforçou a importância da Farmácia Popular, que conta com uma rede de mais de 34.500 farmácias e atende 4.393 municípios.

— É um programa que  ajuda muito a garantir o restabelecimento da saúde dos brasileiros — reforçou a senadora.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:
Senadora Vanessa Grazziotin