João Alberto Souza condena suspensão das obras de refinaria no Maranhão

Da Redação e Da Rádio Senado | 03/02/2015, 17h55 - ATUALIZADO EM 04/02/2015, 16h32

O senador João Alberto Souza (PMDB-MA) classificou como violência a suspensão da instalação de uma refinaria da Petrobras no Maranhão, a Premiun 1, no município de Bacabeira. O anúncio foi feita pela empresa na semana passada e incluiu outra refinaria, a Premiun 2, em São Gonçalo do Amarante (CE).

Para João Alberto,  o corte nos investimentos anunciados pela Petrobras é decorrente da atual situação financeira, atingida pelo esquema de corrupção investigado pela Operação Lava-Jato.

O parlamentar defende que, em vezs de parar as obras, seja revisto o cronograma de implantação da refinaria.

— O povo do Maranhão não é culpado de corrupção na Petrobras. Que se apure a corrupção, que se punam os culpados, mas que não se perpetre essa violência contra o meu estado — pediu.

João Alberto de Souza observou que a construção  ajudaria a reverter o baixo índice de desenvolvimento do estado. Ele informou que a bancada maranhense no Senado recorrerá à presidente Dilma Rousseff. E que os senadores também buscarão o apoio da bancada do estado na Câmara dos Deputados para tentar reverter a decisão.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)