Implementação do novo ensino médio é desafio para os próximos anos

28/12/2018, 11h06 - ATUALIZADO EM 28/12/2018, 16h12

A reforma do ensino médio determina, entre outros pontos, a implantação gradual do ensino integral e o aumento da carga horária mínima anual de 2 mil para 3 mil horas. Deste total, 1800 horas são voltadas para um currículo básico em todo o país e as 1200 horas restantes serão definidas segundo a proposta da escola e escolhidas pelos estudantes de acordo com a sua área de interesse. Homologada em dezembro pelo Ministério da Educação, a Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio, prevê que apenas português e matemática tenham carga horária obrigatória nos três anos do ensino médio. As mudanças devem ser implementadas a partir de 2019, em algumas escolas-piloto, mas devem chegar a todas as salas de aula até 2021. O relator da proposta no Senado, Pedro Chaves (PRB-MS) considera a iniciativa uma revolução educacional e disse que o novo modelo, já adotado em outros países, busca modernizar o ensino e manter os jovens nas escolas. Mais informações com o repórter George Cardim, da Rádio Senado.



Opções: Download