Audiência na CDH mostra violência contra ativistas no Brasil

11/12/2018, 11h48 - ATUALIZADO EM 11/12/2018, 12h22

O assassinato de lideranças sem-terra no último dia 8, na Paraíba, gerou debate na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), durante audiência sobre os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A presidente do colegiado, senadora Regina Sousa (PT-PI), citou o duplo assassinato como exemplo da violência contra lideranças populares no Brasil. Relatórios de 2017 da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Anistia Internacional e da ONG Front Line colocam o país entre os quatro mais perigosos para ativistas, juntamente com Colômbia, Filipinas e México. A reportagem é de Marcela Diniz, da Rádio Senado. Ouça o áudio com mais informações.



Opções: Download