Ex-servidores da Sucam que foram expostos ao DDT poderão receber indenização

29/11/2017, 20h10

Câncer, diabetes, problemas neurológicos, danos no fígado, no rim, nos pulmões e alergias. Todas estas doenças são associadas à exposição prolongada ao dicloro-difenil-tricloroetano (DDT), usado em larga escala no Brasil até a década de 1990 para combater endemias como malária, febre amarela e dengue. Os servidores da extinta Superintendência de Campanhas de Saúde Pública (Sucam), conhecidos como "mata-mosquitos", foram os que acabaram doentes. Para reparar os danos que sofreram, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou nesta quarta-feira (29) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 17/2014), do senador Valdir Raupp (PMDB-RO).

A PEC garante indenização de 130 salários mínimos para os trabalhadores sequelados ou, no caso de terem morrido em função da exposição ao DDT, aos seus familiares. A proposta segue para análise do Plenário, com pedido de calendário especial.

Mais informações com o repórter da Rádio Senado, Roberto Fragoso.



Opções: Download