“200 anos de Independência: lições da história para a construção do amanhã”


Externa

Senadores comemoram volta do programa Jovem Senador

Agência Senado

Depois de dois anos suspenso por conta da pandemia do coronavírus, o programa Jovem Senador está de volta. As inscrições vão até 18 de março. Criado em 2010, o programa é destinado a estudantes de escolas públicas estaduais de ensino médio de todo o país. Os jovens classificados, por meio de um concurso de redação, poderão vivenciar o processo legislativo dentro do Senado e até mesmo apresentar uma sugestão de projeto de lei.

A volta do programa foi comemorada pelos senadores. O senador Paulo Paim (PT-RS), autor do projeto que deu origem ao programa (PRS 2/2003), disse que o Jovem Senador permite mostrar aos jovens como funciona o Legislativo, como são feitas as leis e para que serve uma comissão temática. Também é uma oportunidade para o estudante entender como se dá o debate no plenário, como é o processo legislativo, o que é um projeto de iniciativa popular, como se dão as votações e como são os discursos.

Paim disse que, por meio do programa, os estudantes podem ter contato “com senadores e senadoras, olho no olho”, tirar dúvidas e até sugerir projetos de lei. Segundo o senador, é uma forma de aproximar os estudantes da política do Senado e do próprio Congresso Nacional, ajudando a “desmistificar o mundo da política”. Ele lembrou que muitos dos jovens que já participaram do programa terminaram se tornando líderes em suas comunidades e outros até já se elegeram para o cargo de vereador.

— Por isso, [o programa] é fundamental para a transparência das instituições públicas e para o aperfeiçoamento da nossa jovem democracia. Vida longa à democracia, vida longa ao programa Jovem Senador — declarou o senador.

 Futuro

 O senador Marcelo Castro (MDB-PI) afirmou que o programa ajuda a diminuir a imagem negativa que os estudantes têm da política. Ele disse esperar que o Jovem Senador seja um estímulo para que, no futuro, esses jovens se tornem políticos. Marcelo Castro se disse um fã do programa e defendeu que os professores incentivem um “olhar social” em seus alunos, em prol do bem da coletividade. Segundo o senador, os jovens precisam entender que o Senado é o reflexo da sociedade.

— Se queremos consertar e melhorar a classe política, precisamos melhorar a sociedade como um todo — declarou.  

Para a diretora da Secretaria de Comunicação Social do Senado (Secom), Erica Ceolin, o Jovem Senador é um programa que mira no futuro do país, por fazer uma aliança com a juventude. Ela explicou que os estudantes vencedores de todos os estados e do Distrito Federal vêm ao Senado viver uma “semana legislativa”. Erica destacou a importância do incentivo dos professores em sala de aula, como um “farol de orientação e inspiração”. Ela ainda afirmou que o programa ajuda a despertar nos estudantes a responsabilidade com o futuro do país.

— É uma troca linda entre os estudantes, seus pais, os professores, os senadores e os servidores. A gente vê de perto o sentimento da juventude, seus anseios e o que eles esperam do país — registrou a diretora.


IMPRIMIR | E-MAIL