Eunício anuncia reunião da bancada do Nordeste com Temer para reduzir juros de fundos constitucionais

Da Redação | 18/04/2017, 20h57 - ATUALIZADO EM 19/04/2017, 09h06

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, se comprometeu em Plenário nesta terça-feira (18) a promover uma reunião entre a bancada de parlamentares do Nordeste e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, para discutir a revisão dos juros dos fundos constitucionais do Nordeste (FNE), do Centro-Oeste (FCO) e do Norte (FNO).

Eunício informou que em encontro, também nesta terça, com o presidente da República, Michel Temer, obteve — juntamente com o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) — o compromisso de uma revisão dos juros dos fundos constitucionais. Temer prometeu encaminhar a questão ao ministro da Fazenda.

— Chegou a hora de fazermos esse encontro. Eu me comprometo a convidar a todos para um café da manhã, ou um almoço, ou um jantar, que caiba na agenda de todos nós, para tratarmos desse assunto importante, para ajudarmos o Brasil a sair o mais rapidamente dessa crise em que nos encontramos hoje — afirmou Eunício.

Fernando Bezerra destacou que a intenção é definir, ainda em abril, juros mais favoráveis para os contratos de empréstimos feitos através dos fundos constitucionais. Assim, defendeu, seria possível reanimar a economia regional.

Eunício argumentou que o país não pode conviver com taxa de juros de fundos constitucionais, que têm um papel fundamental de fomentar o desenvolvimento, em nível muitas vezes superior ao nível de empréstimos de mercado. Ele citou como exemplo o Banco do Nordeste, que teria hoje cerca de R$ 28 bilhões estocados no FNE, sem demanda, não por falta de interessados, mas porque nenhum projeto de desenvolvimento de médio e longo prazos resistiria à taxa de juros cobrada.

— É natural que nós estejamos todos unidos nessa questão da utilização desses recursos importantes para o desenvolvimento do Nordeste e do Brasil — afirmou.

O senador Armando Monteiro (PTB-PE), que também pediu atenção à microeconomia, afirmou que fará questão de participar da reunião.

— Com essa taxa de juros, com esse padrão de financiamento, o Brasil não vai nunca criar um ambiente favorável às empresas — lamentou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)