Programa Interlegis oferece produtos que garantem transparência às câmaras municipais

Da Redação | 24/02/2016, 22h15

O diretor da Federação Nacional dos Servidores dos Legislativos e Tribunais de Contas Municipais (Fenalegis), Sérgio Lerrer, disse, na abertura de mais um painel do Seminário Urgências Legislativas, promovido pela entidade no auditório do Interlegis/ILB, nesta quarta-feira (24), que um dos principais desafios das câmaras municipais é a sua relação com a sociedade. Ele acrescentou que, muitas vezes, essa relação não se dá de maneira adequada porque elas não investem em estrutura e ferramentas para chegar à população, mesmo tendo ao seu alcance o conhecimento e a tecnologia oferecidos pelo Programa Interlegis, do Senado.

Para Lerrer, o Interlegis “é o local mais amigo das casas legislativas, pela cessão de conhecimento e tecnologia apropriada às suas demandas, sem os custos com que normalmente elas teriam que arcar, atendendo às necessidades de comunicação e transparência”.

O coordenador de Formação e Atendimento à Comunidade do Legislativo do Programa Interlegis, Francisco Biondo, lembrou a obrigatoriedade legal das casas legislativas de apresentar, na internet, dados e informações gerais, incluindo gastos, licitações e convênios. Ele disse que o Interlegis foi concebido para modernizar e integrar o Poder Legislativo em suas três esferas, com base em tecnologia da informação, capacitação, comunicação e informação legislativa. Associando as duas vertentes, os técnicos do programa desenvolveram sistemas desenhados especialmente para as casas legislativas, a começar de um site para a internet, conhecido como Portal Modelo, desenvolvido em software livre, com informações sobre estrutura e história da Câmara, composição da Mesa, perfil dos vereadores, tramitação de projetos e trabalho de comissões.

O Portal Modelo, acrescentou Biondo, também prevê espaço para informações administrativas, como folha de pessoal ou convênios e licitações. Associado ao Sistema de Apoio ao Processo Legislativo (SAPL), outra ferramenta disponibilizada sem custos pelo Interlegis, eles atendem às exigências das Leis de Transparência e de Acesso à Informação.

Vários vereadores que acompanham os debates quiseram saber detalhes sobre o acesso aos produtos. Outros, como Jerônimo, de Desterro do Melo, de Minas Gerais, e Roberval, de Manicoré, no Amazonas, que já tinham contato com o trabalho do Interlegis, elogiaram a experiência de suas câmaras municipais com o programa.

Outras palestras

O caminho para o Legislativo municipal melhorar sua imagem perante a população não é legislar mais, mas, sim, fiscalizar mais. Esta é a opinião de Heloísa Helena Godinho, conselheira do Tribunal de Contas de Goiás, que foi procuradora da Assembleia do Estado por oito ano. Na opinião dela, se as Câmaras estão sendo demonizadas, como foi afirmado em um dos painéis, o melhor instrumento de exorcismo é a fiscalização.

— O Legislativo não é o culpado de todas as mazelas que a sociedade enxerga nele, mas legislar mais não vai alterar esta percepção, não vai ajudar a sair desta crise de credibilidade — afirmou.

Para Heloísa Godinho, a população quer melhoria da qualidade dos serviços públicos, seus direitos assegurados e, para isso, o caminho é o exercício do controle externo.

No último dia de seminário, houve ainda espaço para temas administrativos, como contribuição sindical ou situação de terceirizados, além de execução orçamentária e, para encerrar, a relação das câmaras com a comunidade.

Da Assessoria de Imprensa do ILB/Interlegis

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
12h17 Massacre em Colniza: Comissão de Direitos Humanos aprova diligência em Colniza (MT) para acompanhar as investigações do assassinato de 9 trabalhadores rurais na semana passada. Segundo Paulo Paim (PT-RS), os senadores irão já na semana que vem.
12h01 Abuso de autoridade: entre as ações consideradas crimes na proposta de Roberto Requião está a popular carteirada, prevista no artigo 33: usar o cargo ou função pública para obter vantagem ou privilégio indevido.
11h48 Abuso de Autoridade: Ricardo Ferraço (PSDB-ES), Humberto Costa (PT-PE) e Antonio Anastasia (PSDB-MG) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) já fizeram avaliação do substitutivo de Roberto Requião aos PLS 85/2017 e 280/2016 na CCJ.
Ver todas ›