Comissão quer ensino obrigatório de artes visuais, teatro, música e dança

Sergio Vieira | 23/02/2016, 14h57 - ATUALIZADO EM 29/02/2016, 20h10

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou nesta terça-feira (23) proposta que altera a Lei de Diretrizes e Bases (LDB) no ponto referente ao ensino de artes. Pelo texto, a música, o teatro, as artes visuais e a dança serão as linguagens que constituirão o componente curricular do ensino de artes.

A matéria é proveniente de um substitutivo da Câmara dos Deputados (SCD 14/2015) a projeto de lei apresentado pelo então senador Roberto Saturnino (RJ), em 2006. Pela legislação atual, apenas a música é citada como conteúdo obrigatório, mas não exclusivo, nesse componente curricular.

O prazo para que os sistemas de ensino implantem as mudanças, incluída a formação dos professores em número suficiente para atuar na educação básica, é de cinco anos. O relator foi o senador Cristovam Buarque (PPS-DF).

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
21h05 Impeachment: Ricardo Lodi disse, a Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que em 2015 o TCU mudou o entendimento sobre as operações entre os bancos públicos e a União. Para ele, não houve crédito, que seria vedado, mas apenas obrigação "ex lege".
20h28 Impeachment: Paulo Paim (PT-RS) interrogou o jurista Ricardo Lodi, ouvido como informante. Já Ricardo Ferraço (PSDB-ES) negou-se a inquiri-lo, por ter sido advogado de Dilma junto ao TCU. Neste momento, o Ronaldo Caiado (DEM-GO) o questiona.
19h57 Impeachment: Ricardo Lewandowski deferiu o pedido da defesa, permitindo que Ricardo Lodi seja ouvido como informante. A acusação pedia a dispensa do jurista, por ter atuado como perito e advogado de Dilma.
Ver todas ›