PT pede investigação de declarações de Bolsonaro sobre fraudes nas eleições — Rádio Senado
Presidente

PT pede investigação de declarações de Bolsonaro sobre fraudes nas eleições

O Partido dos Trabalhadores pediu à Procuradoria-Geral da República e ao Tribunal Superior Eleitoral que investigue as declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre possíveis fraudes nas eleições brasileiras de 2022. Bolsonaro disse que houve fraude generalizada nas eleições americanas e que a situação deve ser ainda pior no Brasil, caso não seja adotado o voto impresso. Os partidos de oposição consideraram a fala do presidente uma “ameaça à democracia”. Há no Congresso, no entanto, propostas para mudar a Constituição e tornar o voto impresso obrigatório. As informações na reportagem de Maurício de Santi, da Rádio Senado. 

08/01/2021, 13h23 - ATUALIZADO EM 08/01/2021, 13h51
Duração de áudio: 02:07
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Transcrição
LOC: A BANCADA DE PARLAMENTARES DO PARTIDO DOS TRABALHADORES PEDIU À JUSTIÇA QUE INVESTIGUE A DECLARAÇÃO DO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO SOBRE POSSÍVEIS FRAUDES ELEITORAIS EM 2022, CASO NÃO SEJA ADOTADO O VOTO IMPRESSO. LOC: O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL JÁ SE MANIFESTOU ALGUMAS VEZES CONTRA A IMPRESSÃO DOS VOTOS NAS URNAS ELETRÔNICAS. REPÓRTER MAURÍCIO DE SANTI: (Repórter) Ao comentar a declaração de Donald Trump de que perdeu as eleições nos Estados Unidos por causa de fraudes generalizadas na votação, apesar de não haver qualquer prova disso, o presidente Jair Bolsonaro disse que a situação deve ser ainda pior no Brasil em 2022. A postura de Trump levou um grupo de extremistas a invadir o prédio do Congresso daquele país para tentar impedir a confirmação da eleição de Joe Biden. Cinco pessoas morreram. Por aqui, líderes dos partidos de oposição consideraram a fala de Bolsonaro uma ameaça à democracia. E o Partido dos Trabalhadores pediu à justiça que investigue o presidente da República. O senador Humberto Costa, do PT de Pernambuco, lembrou que o Supremo Tribunal Federal já julgou inconstitucional a exigência do voto impresso nas urnas eletrônicas e que não há qualquer indício de fraude que justifique o questionamento de Jair Bolsonaro: (Humberto Costa) Realmente é uma garantia de que o nosso sistema eleitoral é bastante seguro, que jamais teve qualquer tipo de fraude comprovada e, como tal, isso é uma garantia importante para a própria democracia. (Repórter) Por meio das redes sociais, senadores como Fabiano Contarato, Randolfe Rodrigues e Eliziane Gama também repudiaram a declaração de Bolsonaro. Há no Congresso, no entanto, várias propostas sobre o voto impresso. Uma das mais adiantadas é a tentativa de incluir a obrigatoriedade do voto impresso na Constituição, ideia apresentada pela deputada Bia Kicis, do PSL do Distrito Federal. A proposta tem o apoio do senador Plínio Valério, do PSDB do Amazonas: (Plínio Valério) “A grande falha da urna eletrônica, que eu vejo, é não poder ser auditada. Você não pode protestar porque não tem como comprovar nada, e com o comprovante impresso você teria. Na hora você reclama, aquela urna sim ja tá 'bichada' e você depois pede, vai pra justiça, e acaba auditando aquilo." (Repórter) O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, disse que nunca foi apresentado ao TSE qualquer indício de fraude. Ele afirmou também que a vida institucional não é palanque e que as pessoas devem ser responsáveis pelo que falam. PEC 135/2019 - CD

Ao vivo
00:0000:00