Comissão do Pantanal discute combate às cinzas e futuro dos animais do bioma — Rádio Senado
Pantanal

Comissão do Pantanal discute combate às cinzas e futuro dos animais do bioma

A comissão temporária externa criada para acompanhar os incêndios do Pantanal realizou nova audiência pública nesta sexta-feira. O subprocurador-geral da República, Juliano Baiocchi, destacou que o aumento de alertas de focos de calor na Amazônia demandou um tempo precioso para o combate aos incêndios no Pantanal. Já o presidente da comissão pediu união dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul no enfrentamento às cinzas. A reportagem é de Marcella Cunha.

16/10/2020, 15h13 - ATUALIZADO EM 16/10/2020, 15h51
Duração de áudio: 02:33
Foto: Christiano Antonucci/Secom–MT

Transcrição
LOC: O SENADOR WELLINGTON FAGUNDES PEDIU APOIO DO GOVERNO FEDERAL PARA ENFRENTAMENTO DAS CINZAS DEIXADAS APÓS OS INCÊNDIOS NO PANTANAL. LOC: A SITUAÇÃO DO BIOMA FOI DISCUTIDA POR ESPECIALISTAS NESTA SEXTA-FEIRA EM AUDIÊNCIA DA COMISSÃO CRIADA PARA APURAR O COMBATE ÀS QUEIMADAS. A REPORTAGEM É DE MARCELLA CUNHA (Repórter) Durante a audiência, o subprocurador-geral da República, Juliano Baiocchi, afirmou que a resposta do Governo Federal aos incêndios no Pantanal poderia ter sido mais rápida se todos os esforços não estivessem concentrados na Amazônia. (Juliano Baiocchi) Enquanto, toda a opinião pública acompanhava atenta os alertas do Inpe para o número de focos de incêndios na Amazônia, o maior impacto da onda de calor e da seca prolongada deste ano resultou em incêndios no Pantanal, ou seja, onde nunca houve preocupação elevada com incêndios, exatamente pela abundância de água. (Repórter) Já o promotor de Justiça do Núcleo Ambiental do Ministério Público de Mato Grosso do Sul, Juliano Furtado, chamou a atenção para a dificuldade de encontrar os responsáveis pelo início do fogo. (Juliano Furtado) O Pantanal é gigante; conseguir comprovar quem colocou fogo, os motivos, as causas e que isso foi doloso ou culposo é o grande desafio. É uma frustração conseguir encontrar os culpados, se é que, além da questão climática, a gente vai conseguir encontrar alguma situação dolosa, porque sabemos também que grande parte desses incêndios não são provocados pelos proprietários rurais, são provocados por outros tipos de atividades e, em alguns casos, são até acidentais. (Repórter) A veterinária do Grupo de Resgate de Animais em Desastre, Vânia Plaza, fez um panorama da situação da fauna em meio ao desastre e pediu que sejam elaboradas políticas de longo prazo. (Vânia Plaza) Não existem alimentos para esses animais, para nenhum tipo de animal. E nós estamos, todos os dias, distribuindo alimentos para todos esses animais. Nós não vamos poder ficar fazendo isso. E o que a gente está sentindo uma falta enorme é, e que já está muito atrasado, um planejamento de como vai ser o cuidado em relação a esses animais. (Repórter) O presidente da comissão, senador Wellington Fagundes, do PL de Mato Grosso, pediu urgente assistência para os moradores do Pantanal em relação aos efeitos das cinzas. (Wellington Fagundes) Alerto e peço ao Governo Federal que convoque os Governos de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul para fazerem, somados, esse grande enfrentamento, assim como tem sido o do fogo, para que possamos garantir que o ser humano habitante do Pantanal possa ter o apoio necessário para retomar a sua vida. (Repórter) Também participaram da audiência o procurador de Justiça Especializada em Defesa Ambiental e Ordem Urbanística, Luiz Alberto Scaloppe, a presidente da Comissão Nacional de Direito Ambiental da OAB, Ana Carolina Naves, entre outros.

Ao vivo
00:0000:00