Justiça americana define indenização para familiares de vítimas de voo da Chapecoense — Rádio Senado
Tragédia

Justiça americana define indenização para familiares de vítimas de voo da Chapecoense

A Justiça norte-americana definiu indenização de R$ 4,8 bilhões para famílias de vítimas do voo da Chapecoense. O presidente da CPI que investiga o acidente, senador Jorginho Mello (PL-SC), comemorou a decisão e cobrou uma atitude da Justiça brasileira. As informações são da repórter Raquel Teixeira.

02/10/2020, 16h55 - ATUALIZADO EM 02/10/2020, 16h55
Duração de áudio: 01:48
Aviao que transportava a equipe da Chapecoense cai na Colombia. Foto Cr Wilson Pardo ‏@Policiantioqui
Foto: Foto: Wilson Pardo / Fotos Públicas

Transcrição
LOC: JUSTIÇA NORTE-AMERICANA DEFINE INDENIZAÇÃO PARA FAMÍLIAS DE VÍTIMAS DO VOO DA CHAPECOENSE. LOC: PRESIDENTE DA CPI QUE INVESTIGA ACIDENTE COMEMORA DECISÃO E COBRA ATITUDE DA JUSTIÇA BRASILEIRA. REPÓRTER RAQUEL TEIXEIRA. TÉC: O acidente com o avião da Chapecoense provocou a morte de 71 pessoas, em 29 de novembro de 2016, na Colômbia. Agora, quase quatro anos depois, a justiça do estado da Flórida, nos Estados Unidos, condenou as seguradoras envolvidas no caso a pagarem indenizações no valor de US$ 844 milhões de dólares, ou seja, mais de R$ 4 bilhões e meio de reais, para uma parte das famílias das vítimas. Aqui no Brasil, ainda não há decisão, mas o Ministério Público Federal pediu US$ 300 milhões de dólares, equivalente a mais de R$ 1 bilhão e meio de reais, por danos morais e materiais para os parentes dos mortos. Os réus na ação são a empresa LaMia, a corretora Aon e as seguradoras Tokio Marine Kiln e Bisa Seguros, que estariam cientes da condição financeira e da dificuldade de operação da companhia aérea. O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga as causas e responsáveis pela tragédia, senador Jorginho Mello, do PL de Santa Catarina, comemorou a decisão e afirmou que essa definição pode ajudar a acelerar o julgamento pelos tribunais brasileiros. (JORGINHO) Isso nos alegra, isso nos anima, então eu estou muito feliz como presidente da comissão que investiga tudo isso, que está ao lado das famílias para ajudar nessas indenizações, por essa decisão, só que fica feio para a justiça brasileira, que devia ser mais rápida, e isso faz com que a gente apure o passo aqui. Rep: O senador lembrou que os trabalhos da comissão estão suspensos por causa da pandemia do coronavírus, mas destacou que a retomada dos encontros da CPI da Chape deverá acontecer assim que houver a liberação das reuniões presenciais no Congresso Nacional. Da Rádio Senado, Raquel Teixeira.

Ao vivo
00:0000:00