Instituição de análise econômica do Senado alerta para possibilidade de novo cenário recessivo no Brasil — Rádio Senado
Economia

Instituição de análise econômica do Senado alerta para possibilidade de novo cenário recessivo no Brasil

Segundo indicadores divulgados mensalmente pelo Banco Central, o PIB brasileiro poderá ter uma queda no primeiro trimestre de 0,9%. É um resultado equivalente a momentos de recessão pelos quais o Brasil passou em 2015 e 2016. Segundo o diretor da Instituição Fiscal Independente do Senado, Felipe Salto, quando acontece um resultado tão negativo quanto esse, é difícil recuperar no segundo semestre. Um dos problemas apontados no relatório da IFI divulgado esta semana é a dívida pública, que continua uma trajetória de alta. A reportagem é de Floriano Filho, da Rádio Senado.

17/05/2019, 13h43 - ATUALIZADO EM 17/05/2019, 13h43
Duração de áudio: 02:25
Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

Transcrição
LOC: RESULTADO PRÉVIO DO PIB BRASILEIRO INDICA POSSIBILIDADE DE NOVA RECESSÃO NO PAÍS. LOC: A ANÁLISE É DA INSTITUIÇÃO FISCAL INDEPENDENTE DO SENADO, QUE PUBLICOU UM NOVO RELATÓRIO ESTA SEMANA. REPÓRTER FLORIANO FILHO. (Repórter) Segundo indicadores divulgados mensalmente pelo Banco Central, o PIB brasileiro poderá ter uma queda no primeiro trimestre de 0,9%. É um resultado equivalente a momentos de recessão pelos quais o Brasil passou em 2015 e 2016. De acordo com o diretor da Instituição Fiscal Independente do Senado, Felipe Salto, quando acontece um resultado tão negativo quanto esse, é difícil recuperar no segundo semestre. (Felipe Salto) A vida está muito difícil no sentido da recuperação da economia. Aquela recuperação lenta que se imaginava não está acontecendo. A economia está andando de lado, com risco até de apresentar uma variação negativa no ano. (Repórter) Um dos problemas apontados no relatório da IFI divulgado esta semana é a dívida pública. Ela continua uma trajetória de alta. Já atingiu 78,4% do PIB, em março, e, se não houver correção do rumo fazendo reformas necessárias, deverá chegar a 85,5%, em 2025. Felipe Salto disse que não será suficiente a aprovação da Reforma da Previdência para reverter o quadro desanimador da economia. (Felipe Salto) A reforma da previdência é uma condição necessária para ajudar a recuperar as contas públicas, para melhorar a confiança. Mas ela, sozinha, não faz verão. Não resolve todos os nossos problemas. (Repórter) Segundo o economista, o caminho para o país retomar o crescimento econômico tem que ser pela volta dos investimentos, especialmente em infraestrutura, e por ações que favoreçam as exportações brasileiras. (Felipe) Você precisa ter algum estímulo à demanda bem feito no sentido de recuperar as exportações, recuperar investimentos de maneira sensata, inclusive fazendo acordos comerciais que representem um aumento das exportações para valer, o que até agora não foi feito. (Repórter) Uma audiência no dia 28 de maio no Senado vai discutir a crise fiscal brasileira com economistas do novo Conselho de Assessoramento Técnico da IFI.

Ao vivo
00:0000:00