Raimundo Lira deve ser o presidente da Comissão Especial do Impeachment — Rádio Senado
Impeachment

Raimundo Lira deve ser o presidente da Comissão Especial do Impeachment

20/04/2016, 21h15 - ATUALIZADO EM 20/04/2016, 21h15
Duração de áudio: 02:07
Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) concede entrevista. 

Foto: Moreira Mariz/Agência Senado
Moreira Mariz/Agência Senado

Transcrição
LOC: O SENADOR RAIMUNDO LIRA, DO PMDB DA PARAÍBA, DEVE SER O PRESIDENTE DA COMISSÃO ESPECIAL DO IMPEACHMENT. LOC: E A OPOSIÇÃO INDICOU O SENADOR ANTONIO ANASTASIA, DO PSDB DE MINAS GERAIS, PARA A RELATORIA, O QUE FOI CONTESTADO PELO PARTIDO DOS TRABALHADORES. A REPORTAGEM É DE HÉRICA CHRISTIAN. (Repórter) Nesta segunda-feira, o Plenário do Senado deverá eleger a comissão especial do impeachment. A indicação dos 21 titulares e 21 suplentes foi feita com base no tamanho dos blocos partidários. Por esse critério, caberá ao PMDB a presidência do colegiado, que apresentou o nome do senador peemedebista Raimundo Lira, da Paraíba. Ao garantir isenção, ele justificou uma manifestação pública favorável ao impeachment da presidente Dilma. Raimundo Lira disse que o posicionamento de até então obedecia a uma decisão do PMDB, que entregou os cargos no governo. Mas avisou que na condição de presidente da comissão vai assumir uma postura de neutralidade. (Raimundo Lira) No momento em que aceitei essa missão ficou estabelecido entre nós que eu teria uma postura suprapartidária na comissão e que meu status a partir daquele momento passaria a ser o status de indeciso. (Repórter) A oposição, segundo maior bloco, indicou o senador Antonio Anastasia, do PSDB de Minas Gerais, para a relatoria. Mas o governo defenderá a troca do nome. A senadora Gleisi Hoffmann, do PT do Paraná, alegou que o cargo não pode ser ocupado nem por um governista nem por um oposiconista. (Gleisi Hoffmann) A nossa divergência está em relação ao PSDB e não ao senador. Respeito muito o senador Anastasia, uma pessoa qualificadíssima. Mas o que estamos achando? Que uma indicação do PT ou do PSDB já pode deixar o processo maculado de início porque esses partidos têm posições claras. (Repórter) Mas o líder do PSDB, senador Cássio Cunha Lima da Paraíba, argumentou que Anastasia tem todas as condições de assumir o cargo. (Cássio Cunha Lima) Não podemos reduzir essa discussão à filiação partidária do relator. Quando fiz a indicação do senador Anastasia foi com a convicção que dificilmente encontraremos no Plenário do Senado algum outro senador que tenha equilíbrio, bom senso, temperança e a capacidade de conduzir esse trabalho com saber jurídico. (Repórter) Depois de eleita, a comissão deve iniciar os trabalhos na terça-feira.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00