Sarney apresenta proposta de plebiscito sobre comércio de armas — Rádio Senado

Sarney apresenta proposta de plebiscito sobre comércio de armas

LOC: O SENADO DEVE VOTAR NOS PRÓXIMOS DIAS PROJETO QUE PREVÊ REALIZAÇÃO DE PLEBISCITO SOBRE DESARMAMENTO. 

LOC: PARA O LÍDER DO DEMOCRATAS, A NOVA CONSULTA NÃO VAI TRAZER RESULTADOS PRÁTICOS. A REPORTAGEM É DE HÉRICA CHRISTIAN  

TEC: Pelo projeto do presidente do Senado, José Sarney, do PMDB do Amapá, um plebiscito sobre desarmamento será realizado no primeiro domingo de outubro deste ano. Os eleitores serão convocados para responder à seguinte pergunta: ¿o comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?¿. José Sarney explicou que após o resultado da consulta popular, o Congresso Nacional poderá alterar a Lei do Desarmamento, que proíbe o porte, mas libera a venda de armas. (Sarney) Há uma decisão popular que aprovou a venda de armas no país. Temos que modificar isso. Acho que foi um erro. A população brasileira foi induzida a um erro. Verificamos que a venda de armas no país não garantiu o cidadão. Ela torna mais vulnerável o cidadão porque quem tem arma passa a ser objeto de procura de infratores para que com essas armas cometerem os crimes que o Brasil tanto repudia. REP: O líder do DEM, senador Demóstenes Torres, de Goiás, é contrário à realização do plebiscito. Segundo ele, a consulta de outubro deste ano não tem os poderes de um referendo para revogar o que já foi aprovado pelo Congresso Nacional. (Demóstenes) É perguntar a mesma coisa só que com um efeito diferente. Naquele o povo podia vetar, como vetou o artigo. Nesse, o povo será consultado. Aqui, independentemente da consulta, o projeto de lei apresentado pode ser derrubado ou aprovado pelas duas Casas. O efeito é nulo do plebiscito. É só para saber o que o povo pensa. REP: A ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, elogiou a iniciativa do Senado ao destacar que uma eventual proibição do comércio de armas não vai evitar apenas tragédias como a da escola municipal de Realengo. (Rosário) Situações de crimes não apenas como os do Rio de Janeiro. Mas especialmente contra mulheres e crianças. Sem falar que a maioria dos acidentes com arma de fogo envolve crianças. O referendo já realizado é uma referência, mas não deu a palavra final porque temos vidas a salvar todos os dias. REP: O projeto de decreto legislativo ainda precisa ser votado pela Comissão de Constituição e Justiça e pelo Plenário do Senado. Em seguida, será analisado pela Câmara dos Deputados.
12/04/2011, 01h37 - ATUALIZADO EM 12/04/2011, 01h37
Duração de áudio: 02:31
Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00