Senado adia sessão após secretário-geral da Mesa ter diagnóstico de covid-19

Da Redação | 21/05/2020, 18h25

A sessão deliberativa remota do Senado marcada para esta quinta-feira (21) foi adiada após a notícia de que o secretário-geral da Mesa, Luiz Fernando Bandeira de Mello, foi diagnosticado com covid-19. Os demais servidores que assessoram o Plenário precisaram entrar em isolamento. O secretário-geral informou que está bem e não manifesta sintomas.

A pauta desta quinta será cumprida na próxima semana, mas ainda não há uma definição de como os projetos serão distribuídos ao longo dos dias. São cinco projetos, entre os quais o que garante o uso de leitos da rede privada pelo SUS durante a pandemia. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, convocará uma reunião de líderes para tratar do assunto.

O adiamento foi proposto pelo senador Weverton (PDT-MA), que pediu compreensão dos colegas pela situação dos demais servidores. Membro da Mesa do Senado, ele tem atuado como secretário das sessões e afirmou que também entrará em isolamento e fará os exames médicos.

— A notícia deixou a todos muito apreensivos. Toda a equipe que está aqui é nova. Não temos ambiente nenhum para abrir a sessão no dia de hoje — afirmou.

Os líderes das bancadas do Senado, que participavam da sessão do Congresso Nacional no momento do anúncio do adiamento, desejaram uma rápida recuperação ao secretário-geral Luiz Fernando Bandeira de Mello e manifestaram solidariedade aos demais servidores.

Apesar de acontecerem pela internet, as sessões remotas do Senado são presididas a partir de uma central de comando da Secretaria de Tecnologia da Informação (Prodasen). Além de dois senadores (um presidente e um secretário), os servidores essenciais ao trabalho do Plenário ficam na sala durante as sessões.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
19h11 Violência doméstica: Senado aprova o PL 2.510/2020, que obriga moradores e síndicos de condomínios a informarem casos de violência doméstica às autoridades competentes. Texto vai à análise da Câmara dos Deputados.
18h38 Prioridade à mulher: Vai à sanção o PL 2.508/2020, que prioriza a mulher como provedora para receber o auxílio emergencial destinado a família monoparental. Pelo texto, o recurso só vai para o pai quando comprovada a guarda unilateral do dependente.
17h30 Proteção aos bancos: Senado aprova PLV 21/2020, decorrente da MP 930/2020, que protege os bancos com investimento no exterior da perdas por variação cambial. O texto segue para sanção presidencial.
Ver todas ›