Senado cancela sessão deliberativa desta quinta-feira

Da Redação | 14/05/2020, 16h12

Foi cancelada a sessão deliberativa remota do Senado desta quinta-feira (14), em que seriam discutidos dois projetos relacionados ao combate à pandemia de coronavírus e aos efeitos na economia. Com isso, fica adiada a votação dos projetos da pauta, que tratam do limite de juros para de cartões de crédito e cheque especial e da suspensão de reajustes de medicamentos e planos de saúde.

O PL 1.166/2020, do senador Alvaro Dias (Podemos-PR), estabelece teto de 20% ao ano para juros de cartões de crédito e cheque especial para todas as dívidas contraídas entre os meses de março de 2020 e julho de 2021. Durante esse período, os bancos e instituições financeiras não poderão reduzir o limite de crédito de seus clientes. 

"Com a taxa Selic tão baixa, não é razoável manter juros superiores a 600% ao ano. Uma taxa de 20% é absolutamente satisfatória e suficiente para remunerar as instituições de crédito neste período de crise", argumentou o senador, ao apresentar sua proposta ao Senado. 

Reajuste de medicamentos

Outro texto que teve a votação adiada foi o PL 1.542/2020, do senador Eduardo Braga (MDB-AM), que suspende por 120 dias o reajuste de preços de medicamentos e de planos e seguros privados de saúde. Segundo o autor, o Congresso Nacional tem que tomar atitudes necessárias para que a população enfrente as consequências da pandemia. 

Outros dois projetos que constavam da ordem do dia (o PL 890/2020, que inclui na cobertura de seguros de vida os óbitos decorrentes de epidemias ou pandemias, e o PL 1.886/2020, que autoriza instituições de ensino a antecipar recebíveis) já haviam sido retirados da pauta da sessão remota desta quinta e transferidos para a próxima semana.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
19h11 Violência doméstica: Senado aprova o PL 2.510/2020, que obriga moradores e síndicos de condomínios a informarem casos de violência doméstica às autoridades competentes. Texto vai à análise da Câmara dos Deputados.
18h38 Prioridade à mulher: Vai à sanção o PL 2.508/2020, que prioriza a mulher como provedora para receber o auxílio emergencial destinado a família monoparental. Pelo texto, o recurso só vai para o pai quando comprovada a guarda unilateral do dependente.
17h30 Proteção aos bancos: Senado aprova PLV 21/2020, decorrente da MP 930/2020, que protege os bancos com investimento no exterior da perdas por variação cambial. O texto segue para sanção presidencial.
Ver todas ›