'Jovens senadores' elegem presidentes e vices de três comissões temáticas

Da Redação | 26/11/2019, 21h33

Selo-Jovem-Senador-2109Os estudantes que participam do Projeto Jovem Senador elegeram, na noite desta terça-feira (26), os presidentes e vices das três comissões temáticas que apresentarão esta semana sugestões legislativas que, se acolhidas pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), poderão tramitar como projetos de lei.

Realizado anualmente, o projeto seleciona, por meio de concurso de redação, um estudante de cada unidade da Federação para vivenciar, por uma semana, o trabalho dos senadores. O tema da redação este ano foi “Cidadão que acompanha o orçamento público dá valor ao Brasil”.

A Comissão Nísia Floresta, sobre meio ambiente e saúde, será presidida pelo jovem senador Matheus Barbosa Alves, de Roraima, e terá como vice Bruna Luiza Souza Silva, do Acre. A estudante capixaba Sanna Abigail de Jesus Mello presidirá, juntamente com a vice Maria Adellaide Maciel Campos, da Paraíba, a Comissão Cecília Meireles, sobre educação. A Comissão Sobral Pinto, referente a direito, política e cultura, será presidida por Breno Sanches Viana, do Pará, enquanto Yasmin de Carvalho Leal, do Piauí, foi eleita vice-presidente.

As eleições foram assessoradas por secretários das comissões permanentes da Casa. Os professores orientadores dos estudantes acompanharam o processo.

Nesta quarta-feira (27), cada comissão discutirá as ideias enviadas pelos próprios estudantes para elaborar uma sugestão legislativa. As propostas devem ser votadas nos colegiados quinta-feira (28). Durante todo o tempo, os jovens senadores terão o assessoramento de consultores legislativos, para garantir que cada passo esteja de acordo com o Regimento Interno da Casa. A votação final das sugestões será sexta-feira (29) no Plenário.

Democracia

Antes da eleição da Mesa das comissões, a consultora legislativa Roberta Assis explicou como funciona o processo legislativo e o trabalho dos senadores, ressaltando a importância do debate de diferentes ideias para se conseguir a aprovação de um projeto de lei.

— A democracia é a arte do possível. A lei é o resultado de inúmeras vontades, concessões e ideias — disse Roberta.

Orçamento

Os estudantes também se encontraram com o consultor de Orçamento Orlando Cavalcante, que apresentou duas ferramentas desenvolvidas pelo Senado para entender e acompanhar o Orçamento da União: o Orçamento Fácil e o Siga Brasil. Ele também mostrou como o Orçamento do país é elaborado, discutido e votado.

Outro tema abordado por Orlando foi a importância de os jovens senadores conhecerem o orçamento de seus municípios, dos estados e da União. Ele afirmou que essa é a maneira de participar de sua elaboração e acompanhar como é gasto o dinheiro dos impostos dos cidadãos.

— Se a gente não fizer isso, outros farão em nosso lugar. E sem orçamento, não há política pública — afirmou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)