Eleição portuguesa marcou crescimento dos partidos de esquerda, diz Jaques Wagner

Da Redação | 10/10/2019, 18h11

O senador Jaques Wagner (PT-BA) destacou nesta quinta-feira (10) em Plenário o resultado das eleições legislativas realizadas no último domingo (6), em Portugal, que consagrou, nas urnas, os partidos de esquerda daquele país. O principal destaque é o Partido Socialista, que, na opinião do parlamentar, teve uma “vitória extraordinária”.

Ele ressaltou, ainda, que a legenda de centro-esquerda obteve 36,6% dos votos, o que permite ocupar 106 das 230 cadeiras disponíveis na Assembleia da República; comparando com as últimas eleições (2015), foram 20 cadeiras a mais. Jaques Wagner observou que as demais legendas de esquerda também lograram êxito. O Bloco de Esquerda conseguiu 19 assentos, e a Coligação Democrática Unitária, formada pelos comunistas e pelos verdes, passou a ter 12 assentos.

— Ressalte-se que essas agremiações concorreram separadamente, já que a ‘Geringonça’ não é uma coligação parlamentar formal. Ao todo, a ‘Geringonça’ tem agora 137 cadeiras no parlamento, o que permite compor uma maioria folgada para continuar a governar Portugal [...] No campo da direita, o rival PSD, principal legenda da oposição, terminou com 28% dos votos, o que equivale a 77 assentos, 30 cadeiras a menos das que obtivera em 2015, o pior resultado das últimas décadas. Já o CDS, conservador, terminou com míseros 5 assentos — observou o senador.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
12h39 Partilha do pré-sal: A Comissão de Assuntos Econômicos aprovou o projeto que define as novas regras para partilha da arrecadação com o leilão de petróleo do pré-sal. O PL 5.478/2019 vai ao Plenário com urgência.
12h07 Capital Nacional dos Atiradores : A Comissão de Educação aprovou o Projeto de Lei 4.674/2019, que nomeia Jaraguá do Sul (SC) como a Capital Nacional dos Atiradores. A matéria segue para o Plenário.
12h01 Dedução no imposto de renda: Comissão de Educação aprovou o Projeto de Lei 5.103/2019 que prorroga até 2024 a dedução no IR de valor investido em obra audiovisual. A matéria segue para a CAE.
Ver todas ›