IFI recebe comitiva da OCDE e compartilha projeções sobre medidas econômicas

Da Redação | 24/09/2019, 19h43

A Instituição Fiscal Independente (IFI) recebeu nesta terça-feira (24) a visita de membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) com o objetivo de compartilhar as projeções para a economia nacional, caso as reformas da Previdência e tributária sejam aprovadas pelo Congresso Nacional.

De acordo com o Diretor-Executivo da IFI, Felipe Salto, esta é a segunda vez que o órgão é consultado e as informações compiladas para auxiliar na elaboração do Economic Survey 2020, uma espécie de relatório com a visão atualizada da OCDE sobre a economia brasileira e seus desafios. A expectativa é que o estudo seja publicado no início do ano que vem.

Ainda conforme Felipe, os analistas questionaram na reunião sobre as projeções da IFI para o teto de gastos. “Há uma preocupação grande da comitiva da OCDE com a possibilidade de rompimento do teto e, neste caso, com os resultados dos gatilhos previstos na Emenda Constitucional nº 95”, informou. Também foram discutidas a situação e os efeitos da dívida pública e as perspectivas da IFI sobre o tema.

Representaram a OCDE na reunião Jens Arnold, do Departamento de Economia, Chefe da Seção Argentina/Brasil; Robert Gurndke, Economista; Piritta Sorsa, Chefe da Divisão de Estudos de Países da OCDE. Também participaram do encontro os analistas da IFI, Alessandro Casalecchi, Alexandre Andrade e Rafael Bacciotti.

No final de 2017, a IFI recebeu a mesma comitiva e colaborou com a elaboração do relatório final, publicado em fevereiro de 2018, que reconheceu a instituição como fonte credenciada do estudo.

Segundo o documento, “o Brasil obteve grande progresso em seu quadro fiscal, incluindo o novo teto de gastos e a recém-estabelecida Instituição Fiscal Independente (IFI), que tem publicado relatórios mensais de grande qualidade, com projeções e cenários fiscais. O estabelecimento de uma instituição fiscal foi recomendado em edições anteriores de Relatório Econômico da OCDE sobre o Brasil”. O relatório de 2018 também utilizou e citou informações de quatro edições do Relatório de Acompanhamento Fiscal (RAF) da IFI.

Felipe Salto disse que “essa iniciativa é essencial para o momento vivido pelo Brasil, onde olhar para a experiência internacional pode nos ajudar a resolver problemas estruturais que estão impedindo a retomada do crescimento econômico e dificultando a realização do ajuste fiscal”.

O relatório da OCDE será um documento importante que, na avaliação de Felipe, trará comparações com outros países, analisando as decisões tomadas no Brasil e indicando possíveis resultados de políticas adotadas na área econômica. “Essa avaliação externa é importante para o processo de desenvolvimento do país a curto, médio e longo prazo”, ressaltou.

Além da IFI, a OCDE visita diversos órgãos da área econômica do governo para buscar dados e relatórios que auxiliem na formulação do estudo.

O documento publicado em 2018 está disponível (em português) aqui.

Da assessoria da Instituição Fiscal Independente

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
10h38 Comissão de Constituição e Justiça: O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito por aclamação presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) para o período 2021-2023. O vice será o senador Antonio Anastasia (PSD-MG).
10h27 Comissão de Agricultura: Por aclamação, o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) foi eleito presidente da Comissão de Agricultura para o período 2021-2023.
09h46 Comissão de Meio Ambiente: Por aclamação, o senador Jaques Wagner (PT-BA) foi eleito presidente da Comissão de Meio Ambiente (CMA) para o biênio 2021-2023. O senador Confúcio Moura (MDB-RO) foi eleito vice-presidente.
Ver todas ›