Felipe Salto apresenta atuação da IFI na Coreia do Sul

Da Redação | 09/07/2018, 19h53 - ATUALIZADO EM 10/07/2018, 19h58

O diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado, Felipe Salto, foi um dos palestrantes do painel Novas instituições e atualizações realizado durante o 10º Encontro Anual das Instituições Fiscais Independentes e Escritórios Parlamentares de Orçamento, realizado na terça (3) e quarta-feira (4) da semana passada em Seul. Ele falou das atribuições, equipe e estudos do órgão que dirige. Participaram também do painel representantes do European Fiscal Board (EFB) e de órgãos semelhantes da Coreia, República Tcheca, Eslovênia e Peru. A íntegra da palestra de Salto pode ser vista aqui.

— Trouxemos de volta muita informação relevante para o aprimoramento da nossa atuação, sobretudo neste momento que, para nós, ainda é inicial, uma vez que a IFI foi instalada em novembro de 2016. Conversamos com técnicos e dirigentes de instituições fiscais independentes de vários países — mais antigas e mais recentes — e colhemos uma série de dados valiosos para a construção institucional da IFI no Brasil.

Felipe Salto ressaltou ainda a importância de poder aprender com os erros e acertos dos outros países, o que pode nortear os próximos passos da IFI, de modo a produzir mais e melhores conteúdos “em benefício da transparência, da disciplina fiscal e, principalmente, da atuação do Senado Federal nessas matérias”.

Além de Felipe Salto, o diretor da IFI Gabriel Barros também participou do no encontro. Os dois diretores realizaram ainda encontros bilaterais, aproveitando a oportunidade da missão oficial para aprofundar o diálogo com as IFIs do Reino Unido, Estados Unidos, Austrália, Portugal e Coreia do Sul. Foi assinado um memorando de entendimento com a Coreia para estreitar laços e possibilitar trocas de experiências entre as duas IFIs no campo técnico.

Promovido pela Organização para a Cooperação do Desenvolvimento Econômico (OCDE), o encontro visa integrar as instituições criadas ao redor do mundo para dar maior transparência ao processo orçamentário e às contas públicas. Participam regularmente dos encontros o Congressional Budget Office (CBO), dos Estados Unidos, que já tem mais de 40 anos, e o Office for Budget Responsibility (OBR), do Reino Unido, além de órgãos da Austrália, Canadá, Peru, Espanha, Chile, entre outros.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)