Situação fiscal e prioridades orçamentárias são tema de seminário na terça-feira

Da Redação | 15/06/2018, 08h12 - ATUALIZADO EM 15/06/2018, 12h28

A Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão vinculado ao Senado, promove na terça-feira (19) o seminário “Cenários Fiscais e Prioridades Orçamentárias”. O evento começa às 9h, no auditório do Interlegis, em Brasília. A palestra inaugural será do ministro do Planejamento, Esteves Colnago.

Às 10h30, o senador Romero Jucá (MDB-RR) preside a mesa “Cenários fiscais: desafios e dificuldades para superá-los”. O objetivo é discutir temas como o teto dos gastos públicos e a necessidade de contenção das despesas obrigatórias, como salários e Previdência Social. Um dos debatedores é o economista Felipe Salto, diretor-executivo da IFI. Para ele, o país atravessa “uma das maiores crises da sua história” e precisa recuperar “a capacidade de planejar”.

– Hoje no Brasil há uma improvisação muito grande. Nós perdemos a capacidade e a necessidade de planejar. A questão da dívida pública, do dinheiro público e do orçamento público, apesar de parecer um tema árido, na verdade tem muito a ver com a vida das pessoas. Se dermos mais racionalidade para o processo orçamentário, vamos conseguir criar mais mecanismos e mais espaço para financiar mais políticas públicas, de maneira mais eficiente e eficaz – afirmou Salto.

Às 14h, os participantes analisam os desafios fiscais dos próximos quatro anos. A intenção é debater medidas que o futuro governo precisa tomar para não por em risco as metas fiscais.

A terceira mesa do seminário começa às 16h, com o tema “De olho no futuro: a reforma do processo orçamentário e a consolidação fiscal”. O objetivo é discutir a importância do orçamento público e remover entraves à participação do setor privado. Um dos debatedores é o economista Fernando Rezende, especialista em contas públicas. Ele defende a adoção de um plano estratégico para que, nos próximos 12 anos, o Brasil “consiga escapar da armadilha fiscal do baixo crescimento”.

– Por que a China está se destacando no mundo hoje? Porque ela tem planos estratégicos para 30 anos. O que o Brasil vai ser nos próximos 20 anos? Quais desafios o Brasil vai enfrentar numa nova ordem geopolítica mundial, com o deslocamento do foco para a Ásia e o avanço da economia digital? Como o Brasil vai se preparar para enfrentar esse desafio? E o que precisa ser feito para que esse desafio seja enfrentado com chance de sucesso? – questiona.

A sessão de encerramento está marcada para as 18h. O evento pode ser acompanhado ao vivo pelo site do Interlegis. Confira a programação do evento no site do IFI.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)