Atuação de Emival Caiado para desenvolvimento de Goiás e do país é destacada em homenagem

Augusto Castro | 08/06/2018, 13h59 - ATUALIZADO EM 11/06/2018, 10h33

Com o Plenário do Senado Federal lotado, dezenas de autoridades, políticos, familiares, amigos, ex-parlamentares e admiradores homenagearam nesta sexta-feira (8) o centenário de nascimento do ex-senador, ex-deputado federal, jornalista, advogado e produtor rural Emival Ramos Caiado. Sobrinho do homenageado, o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) presidiu a sessão e lembrou a convivência desde a infância com o tio, autor da lei que fixou a data de mudança da capital brasileira do Rio de Janeiro para o centro do país (Lei 3.273/1957), determinando que Brasília deveria ser inaugurada no dia 21 de abril de 1960.

Nascido na Cidade de Goiás (GO) em 4 de maio de 1918, Emival Ramos Caiado formou-se em direito e, filiado à UDN, foi eleito deputado estadual em 1950 e, depois, deputado federal por três mandatos consecutivos. Após a instauração do governo militar, ingressou na Arena e foi eleito deputado federal mais uma vez em 1966. Em 1970 foi eleito senador. Veio a falecer na capital do estado, Goiânia, em 7 de agosto de 2004.

Emival foi relator dos principais projetos que estruturaram Brasília, no final dos anos 1950, auxiliando também o presidente Juscelino Kubitschek a articular e aprovar a mudança da capital. Era filho de Totó Caiado, um dos políticos de Goiás de maior destaque em seu tempo.

- Emival Caiado fazia política com paixão. Aprendi muito com meu tio Emival, que tanta falta faz a nós todos. Com determinação e espírito público, ele mostrou que a democracia só tem um caminho, o caminho político – afirmou Ronaldo Caiado.

O senador disse que a convivência com o tio Emival lhe deixou bons exemplos de conduta, um “legado digno de admiração” e ricos ensinamentos. Quando deputado federal udenista, disse Ronaldo Caiado, Emival era adversário do então presidente JK, mas “soube agir para além dos antagonismos” ao colocar o interesse nacional em primeiro lugar e defender a mudança da capital para o interior do país, mesmo com resistência dentro de seu próprio partido.

Caiado disse ainda que Emival trabalhou para que não faltassem recursos no Orçamento da União para a construção de Brasília, ajudou na criação da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) e da Universidade Federal de Goiás (UFG) e foi autor do primeiro projeto sobre seguro-desemprego no país.

- Contribuiu não só para o Goiás, mas também para o Brasil – disse Caiado, que agradeceu ao colega senador Vicentinho Alves (PR-TO) por apresentar o requerimento que pediu a homenagem em Plenário em virtude do centenário de nascimento de Emival.

Interiorização e crescimento do país

Por sua vez, o senador Wilder Morais (DEM-GO) afirmou que Emival foi um homem público que “ajudou a construir a história do Brasil no século 20”. Segundo o senador, o homenageado dedicou 25 anos de vida pública ao estado de Goiás e ao país, contribuindo para o desenvolvimento do estado, para a interiorização do Brasil e para o crescimento nacional.

- Emival foi humano, não foi perfeito, mas nunca se negou a trabalhar pelo nosso país. Homenagear esse grande goiano é lembrar de nossa responsabilidade de construir um Brasil moderno – disse Wilder Morais.

Três filhos de Emival estavam presentes à homenagem: o ex-deputado federal Sérgio Ramos Caiado, o produtor rural Emival Ramos Caiado Filho e o advogado Breno Caiado. Sérgio afirmou que o pai desempenhou “trabalho patriótico” durante toda a vida e foi incansável na busca de criar oportunidades para a população goiana, ajudando a promover o desenvolvimento do estado.

- Emival Caiado sempre foi um obstinado nos seus objetivos, voltados sempre para os interesses maiores do estado de Goiás e do seu país. Seu trabalho pode ser descrito em uma frase sua: 'Quando tomo uma atitude, sou como o Rio Araguaia, as águas não correm para trás. Sigo um caminho único, um único rumo. Nado bem, venço correntezas e cachoeiras, aceito afluentes e só vou parar na foz'– registrou o filho Sérgio.

Já o filho Breno lembrou que Emival formou-se em direito na cidade de Niterói (RJ) e, na época, teve uma breve incursão no mundo artístico, atuando no filme Pureza, de 1940, antes de partir para a carreira de advogado, montando um pequeno escritório de advocacia junto com o irmão, o pai de Ronaldo Caiado, Edenval. Segundo Breno, seu pai teve uma carreira obstinada em prol do estado de Goiás e nunca desistia de seus ideais.

O prefeito da cidade de Formosa (GO), Ernesto Roller, afirmou que Emival mostrou a todos “que vale a pena fazer política como arte e ideal do bem servir”.

- O estado tem muito o que se orgulhar da família Caiado – disse.

O ex-deputado federal constituinte Pedro Chaves Canedo acrescentou que o homenageado foi um grande homem e grande político e foi exemplo de parlamentar, advogado e cidadão. Já o vereador de Goiânia, Paulo Daher, lembrou que Emival integrou várias comissões do Senado e foi autor de importantes leis. O vereador registrou ainda que foi sua a iniciativa de criar, na Câmara Municipal de Goiânia, a Medalha Senador Emival Ramos Caiado para contemplar pessoas físicas e jurídicas, cidadãos comuns ou autoridades, que tenham se destacado no combate à corrupção.

Também participaram da sessão especial o senador Hélio José (Pros-DF), o ex-governador de Goiás Alcides Rodrigues, o ex-deputado federal Elcival Ramos Caiado, irmão de Emival, prefeitos, ex-prefeitos, parlamentares e ex-parlamentares do estado e outras autoridades.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)