Capiberibe elogia aprovação da MP 817 e critica governo por aumentos dos combustíveis

Carlos Penna Brescianini | 28/05/2018, 22h28 - ATUALIZADO EM 28/05/2018, 22h29

João Capiberibe (PSB-AP) comemorou nesta segunda-feira a aprovação da MP 817/2018, que regulamenta a inclusão de servidores dos ex-territórios nos quadros da União. Ele agradeceu a atuação dos senadores Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) e Lídice da Mata (PSB-BA) pela aprovação da proposta.

— É uma antiga luta daqueles que foram constituir os novos estados criados após a Constituição de 1988.

Capiberibe relatou que seu vôo do Amapá para Brasília sofreu atrasos por causa da falta de combustível de aviação e que por isso ele acompanhou a votação pelo rádio e pelas redes sociais.

E acredita que agora, com a solução do pagamento desses funcionários pelo governo federal, haverá mais dinheiro para ser investido em infraestrutura no estado:

— A única estrada federal no Amapá, que tem perto de 600 km, tem mais de 100 km ainda em terra batida. Nosso estado está carente de infraestrutura. Talvez agora possamos cuidar melhor dele.

Caminhoneiros

O senador fez duras críticas ao governo do presidente Michel Temer e ao presidente da Petrobras, Pedro Parente. Segundo Capiberibe, não pode ser uma "pessoa boa" a que execute essa política de reajustes diários, que deixa de considerar a Petrobras como uma empresa nacional:

— É evidente que não poderia dar em outra coisa. A política de preços que foi executada pela Petrobras foi suicida. Como é essa planilha de custos da Petrobrás? Só o governo não entende a indignação das pessoas.

Capiberibe declarou que o governo precisa mudar a política de preços da Petrobras. E que é "absolutamente ridículo", no meio de uma crise, o governo ainda aumentar o preço da gasolina.

Para o senador, o governo Temer age com insensatez e só sustenta por sua ligação com os banqueiros e rentistas:

— Já chegamos ao limite do suportável com esse governo.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)