José Medeiros reclama de demora em licenciamentos e de queima de equipamentos pelo Ibama

Carlos Penna Brescianini | 23/05/2018, 22h03 - ATUALIZADO EM 23/05/2018, 22h33

O senador José Medeiros (Pode-MT) relatou uma reunião do DNIT com representantes de indígenas em Mato Grosso, em que se discutiria a construção de um trecho da BR-080. Segundo ele, estudos para obras na rodovia estão há anos parados, sem decisão final, prejudicando toda a circulação no estado. O senador criticou a morosidade dos órgãos ambientais e de proteção dos indígenas para tomarem decisões:

- O Brasil está à mercê de pessoas que por vaidade ou interesse político aparelharam vários órgãos do governo. Mato Grosso, que tem a maior produtividade nacional no agronegócio, tem uma das piores malhas de transporte no país.

José Medeiros explicou que Mato Grosso tem apenas 20% de suas estradas pavimentadas. Ele citou o caso do prefeito de Colniza, no norte do estado, que leva quase 24 horas na rodovia BR-364 para rodar pouco mais de mil quilômetros até a capital Cuiabá, dada a má qualidade da estrada.

Destruição de equipamentos apreendidos

José Medeiros também defendeu a revogação imediata de uma portaria do Ibama que autoriza a destruição de equipamentos apreendidos. Isso está causando conflitos terríveis na região, explicou. E ainda apontou a corrupção em algumas áreas de órgãos como a Funai e o Ibama.

- Que dia que esse Congresso votou autorização para queimar bens? Queimam moto, comida, casas. Eu fui policial rodoviário federal por 20 anos e apreendi várias vezes veículos com 2 toneladas de cocaína ou 10 toneladas de maconha. E nunca tocamos fogo. Enviávamos para a Justiça, pois podiam ser veículos roubados e deveriam ser devolvidos, por exemplo. Pois o Ibama queima tratores, barcos, veículos. Tudo ao arrepio da lei. Isso gera ódio.

O senador relatou que na última semana os fiscais do Ibama queimaram pás carregadeiras de mais de R$ 600 mil. Para o senador,  poderiam ter doado as máquinas para as prefeituras:

- Por que queimam? Certamente se as máquinas ficassem com os fiéis depositários, elas seriam devolvidas aos seus legítimos donos. As grandes mineradoras, como a empresa norueguesa Norsk Hydro, que cometeu crimes ambientais no Pará, não teve seus equipamentos apreendidos e queimados. Mas os pequenos têm seus equipamentos queimados.

José Medeiros afirmou que atualmente o que o Congresso decide não é cumprido:

- Não vou tolerar que esses alegados fiscais, façam essas barbáries em meu estado ou em outros estados. Essas pessoas não permitem que os pequenos consigam se regularizar, seja por burocracia ou por corrupção. 50 municípios da bacia do Pantanal jogam detritos sólidos dentro do Pantanal. Cadê o Ibama? Para isso não ocorre fiscalização. Com todo respeito ao ministro do Meio Ambiente, ou se cumpre a lei ou põem logo na direção do ministério os burocratas do Ibama que mandam e desmandam.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:
Pronunciamento Senador José Medeiros