Brasil deve aproveitar abertura da Coreia do Norte ao mundo, aponta CRE

Da Redação | 10/05/2018, 18h28 - ATUALIZADO EM 10/05/2018, 19h29

O governo norte-coreano adotou a partir deste ano novas diretrizes estratégicas, dando prioridade máxima ao desenvolvimento de sua infraestrutura econômica, disse o presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), senador Fernando Collor (PTC-AL). Ele apresentou nesta quinta-feira (10) um balanço de sua visita oficial à nação asiática, entre os dias 23 de abril e 4 de maio. Além de Collor, visitou a Coreia do Norte o senador Pedro Chaves (PRB-MS).

Collor disse que a nova diretriz foi anunciada pelo líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, à população no início do ano. A nova estratégia sucede a adotada entre 2012 e 2017, que focava de forma mais pormenorizada no desenvolvimento do programa nuclear e na busca de objetivos de ordem econômica.

O presidente da CRE enfatiza que o novo momento vivido pela Coreia do Norte, que reabriu as conversações de paz com a Coreia do Sul, abre portas promissoras para o incremento das relações diplomáticas e econômicas com o Brasil. Com este objetivo, a CRE aprovou, por iniciativa de Collor, a criação do grupo parlamentar de amizade Brasil-Coreia do Norte (PRS 18/2018). Uma das prioridades do grupo será aprovar o acordo de cooperação econômica e técnica assinado pelos governos dos dois países em 2009. O texto tramita na Câmara dos Deputados.

— Acredito que nosso país não pode perder este momento único, histórico, que estamos vivendo, uma conseqüência das novas orientações adotadas pela gestão de Kim Jong-un para a Coreia do Norte. O país está engajado em romper o isolamento a que, entendem, foram condenados, e é apreciado o fato do Brasil ser o único país das Américas que possui representação diplomática tanto no norte quanto no sul da península. Estivemos reunidos com autoridades a nível parlamentar e econômico, e eles tem interesse ainda em incrementar laços nas áreas acadêmica e sindical — afirmou o senador.

Outro objetivo do grupo parlamentar será formalizar uma visita oficial do ministro de Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, ao Brasil. O grupo também realizará gestões junto ao governo federal visando a nomeação de um novo embaixador do Brasil em Pyongyang, uma vez que o cargo encontra-se vago, segundo Collor, "devido a uma leitura muito rigorosa das sanções aplicadas pela ONU ao país".

A pedido da senadora Vanessa Graziottin (PC do B-AM), também foi aprovado o pedido de urgência ao Plenário na análise da criação do grupo parlamentar de amizade. O objetivo de Collor é aprovar o referido PRS ainda em maio, visando uma visita oficial dos parlamentares brasileiros que a ele aderirem a Pyongyang já em agosto.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)