Senado aprova indicada para a Embaixada do Brasil no Cazaquistão

Da Redação | 09/05/2018, 19h03 - ATUALIZADO EM 09/05/2018, 19h07

Foi aprovada em Plenário nesta quarta-feira (9) a indicação da diplomata Márcia Donner Abreu para exercer o cargo de embaixadora do Brasil no Cazaquistão. A diplomata acumulará o cargo com o Turcomenistão e a República Quirguiz, ou Quirguistão. A Mensagem (MSF) 10/2018 recebeu 44 votos favoráveis, dois contrários e uma abstenção.

Márcia Donner Abreu nasceu em Florianópolis (SC), formou-se em Direito pela Faculdade Cândido Mendes, no Rio de Janeiro, e ingressou na carreira diplomática em 1987. Ao longo da carreira, foi conselheira nas embaixadas em Washington (2001 a 2005) e em Pequim (2005 a 2007), além de ter integrado a Delegação Permanente do Brasil junto à Unesco, em Paris (2009 a 2011). Desde 2012 é ministra-conselheira, representante permanente adjunta e encarregada de Negócios na Delegação Permanente do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio (OMC) e outras organizações econômicas internacionais, em Genebra.

Ela foi sabatina pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) no final de abril. A diplomata ressaltou que a Ásia Central, onde se localizam os três países, tem ganhado relevância geopolítica e econômica nas últimas décadas. A região abriga riquezas minerais e consolida laços com a Rússia, a China e outros atores importantes em nível global.

Márcia Donner Abreu explicou que as três nações — que fizeram parte da União Soviética, dissolvida em 1992 — são importadoras de alimentos e de produtos industrializados, janelas de oportunidades que podem ser abertas por exportadores brasileiros. A diplomata revelou a intenção de viabilizar a realização de uma feira de produtos brasileiros e visitas de comitivas empresariais a Astana, capital do Cazaquistão, assim como negociar a venda de aviões militares brasileiros.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)