CDR vai debater cronograma de obras do Rio São Francisco e fechamento de agências dos Correios

Da Redação | 09/05/2018, 12h01 - ATUALIZADO EM 09/05/2018, 15h59

A Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) aprovou, nesta quarta-feira (9), dois requerimentos apresentados pela presidente da comissão, senadora Fátima Bezerra (PT-RN). Ela quer debater o fechamento das agências dos Correios em todo o país e o cronograma das obras do projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF).

De acordo com notícias divulgadas pela imprensa, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos deverá fechar 513 agências próprias, demitindo mais de cinco mil funcionários. A fim de esclarecer essa informação, Fátima pediu uma audiência pública com o presidente interino dos Correios Carlos Fortner.

No requerimento, ela diz estar preocupada em relação ao número de agências que poderão ser fechadas no Rio Grande do Norte. Segundo a senadora, o anúncio surpreendeu não só os trabalhadores dos Correios, mas está preocupando a população dos pequenos e médios municípios, que necessita dos serviços prestados por essas agências. A data da audiência ainda será definida pela comissão.

- Na maioria dos municípios, só há uma agência dos Correios. Se for fechada alguma delas, os habitantes serão muito prejudicados. Além disso, em Natal, Mossoró e Parnamirim, as agências próprias disputam com as franqueadas, o que nos faz temer pelo futuro das agências do governo - justificou.

Rio São Francisco

Em relação ao cronograma da finalização das obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF), principalmente às relacionadas ao Eixo Norte 1 e ao Ramal do Apodi, a senadora pediu a realização de três audiências públicas. Os debates serão realizados em Brasília, no dia 16 de maio; e no Rio Grande do Norte e Paraíba, em datas e locais a definir.

"Queremos que o ministro da Integração Nacional nos apresente o calendário de execução para a conclusão das obras a fim de que se efetive a segurança hídrica tão esperada pela população dos estados beneficiários, em especial aqueles que convivem com o Semiárido nordestino”, justificou no requerimento.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)