José Pimentel destaca Caravana da Esperança e protesta contra cortes em programas sociais e infraestrutura

Da Redação e Da Rádio Senado | 04/09/2017, 15h55 - ATUALIZADO EM 04/09/2017, 18h42

O senador José Pimentel (PT-CE)  destacou em Plenário nesta segunda-feira (4) o início, no dia 17 de agosto, da Caravana da Esperança, com Luiz Inácio Lula da Silva, pelo estado da Bahia. Em seguida a Caravana esteve nos estados de Sergipe, em Alagoas, em Pernambuco, na Paraíba e no Rio Grande do Norte, onde Pimentel foi encontrá-lo e de onde seguiram para o Ceará.

— Começamos por Quixeré, uma cidade que extrema com o Rio Grande do Norte, uma grande acolhida. Depois, fomos a Limoeiro do Norte, a Morada Nova. Ali os vaqueiros – a festa dos vaqueiros, que todos nós aqui ajudamos a aprovar aquela iniciativa constitucionalizando a atividade cultural –, eles nos receberam, também outra grande atividade. E à noite, em Quixadá, tínhamos mais de 40 mil pessoas na praça para dialogar, para discutir as questões do Ceará, do Nordeste e do Brasil, e construir uma nova agenda, uma agenda da esperança, que seja capaz de devolver ao nosso povo o Programa Minha Casa, Minha Vida.

O senador lamentou os retrocessos em programas sociais e investimentos em infraestrutura desde que eclodiram as crises política e econômica, em 2015, oriundas, segundo ele, da insatisfação do PSDB com o resultado das eleições de 2014.

Essa insatisfação, disse o senador, associada a outros interesses, culminou com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e resultou não em solução dos problemas do país, mas no agravamento das crises.

Pimentel criticou o descumprimento das metas do programa Minha Casa Minha Vida e a paralisação de obras no transporte ferroviário,  ao lembrar que estão parados os ramais da Transnordestina que têm como destino os portos de Suape, em Pernambuco, e Pecém, no Ceará.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)