Ivo Cassol defende uso da fosfoetanolamina no tratamento do câncer

Da Redação e Da Rádio Senado | 05/10/2016, 17h44 - ATUALIZADO EM 05/10/2016, 21h05

O senador Ivo Cassol (PP-RO) defendeu a liberação do uso da fosfoetanolamina sintética, conhecida como pílula do câncer. O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu a vigência da lei que permitia o tratamento com a droga antes de sua validação em exames requeridos por protocolo internacional de pesquisa de medicamentos.

Em abril, o projeto foi aprovado pelo Congresso Nacional e a lei foi sancionada pela então presidente Dilma Rousseff,   mas a Associação Médica Brasileira pediu ao STF a suspensão da lei, alegando que o uso da fosfoetanolamina, além de não ter eficácia comprovada, pode prejudicar os pacientes ao comprometer o tratamento convencional do câncer.

Ivo Cassol citou pesquisa feita recentemente pelo Instituto do Câncer do estado de São Paulo, que, segundo ele, garante a eficácia da substância.

- Só quem tem alguém dentro da família é que sabe o valor e a necessidade que tem de usar todos esses medicamentos, todos esses tratamentos alternativos - disse o senador.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)