Plenário rejeita último destaque da defesa e relatório de Anastasia é totalmente aprovado

Da Redação | 10/08/2016, 02h50 - ATUALIZADO EM 11/08/2016, 17h53

O Plenário do Senado rejeitou os últimos argumentos da defesa da presidente afastada, Dilma Rousseff, e manteve, por 59 votos a 21, o texto do relatório de Antonio Anastasia (PSDB-MG). Com a última votação, o parecer, pela pronúncia da presidente afastada, foi aprovado na íntegra.

Esse último destaque pedia a retirada da acusação referente a um dos créditos suplementares abertos por Dilma sem autorização do Congresso Nacional. O decreto, de 20 de agosto de 2015, foi no valor de R$ 600 milhões.

Os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) defenderam a retirada dessa acusação contra Dilma. Randolfe informou que o presidente interino Michel Temer também editou decretos de suplementação orçamentária. Ele cobrou a instauração de processo de impeachment contra Temer também.

Randolfe e Vanessa também disseram que o decreto de R$ 600 milhões não impactou a meta fiscal de 2015. Randolfe disse que R$ 111 milhões desse total foram para o Ministério da Justiça e serviram para aparelhar a Polícia Federal e reforçar as investigações da Operação Lava Jato.

Defenderam a manutenção dessa acusação os senadores Alvaro Dias (PV-PR) e José Medeiros (PSD-MT). Eles afirmaram que não importa a destinação dos recursos, mas a forma como foi feita essa abertura de crédito, sem autorização do Congresso. Para eles, o governo Dilma tentou maquiar e esconder a realidade das finanças do país.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)