Para Gladson Cameli, há provas suficientes de crime de responsabilidade por ação e omissão

Da Redação | 04/08/2016, 10h56 - ATUALIZADO EM 04/08/2016, 15h22

Na opinião do senador Gladson Cameli (PP-AC), a Comissão Especial do Impeachment não permitiu que “uma mentira repetida mil vezes se tornasse verdade”. Para ele, há provas suficientes de que a presidente afastada Dilma Rousseff cometeu crimes de responsabilidade por ação e omissão e, por isso, afastá-la não será um golpe, como prega a defesa.

— Houve um vale tudo orçamentário, em nome de um programa político que trouxe retrocesso ao país — observou, na comissão do impeachment, nesta quinta-feira (4).

Ele encaminhou, em nome de seu estado e da bancada do PP, o voto favorável à procedência da denúncia contra a presidente afastada “para proteger o Estado brasileiro de uma gestão irresponsável”. E elogiou o trabalho da comissão, já que acusação e defesa tiveram seus direitos amplamente garantidos.

Cameli também manifestou esperança de que o governo de Michel Temer será capaz de superar os problemas, pois não há “desemprego, quebradeira e serviços públicos quebrados que não possam ser vencidos”.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)