Cristovam Buarque: país padece com a falta da educação integral

Da Redação e Da Rádio Senado | 09/03/2016, 18h43 - ATUALIZADO EM 09/03/2016, 19h41

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) afirmou que o debate ocorrido nesta quarta-feira (9) no Senado, sobre o projeto de lei que prevê adoção da escola em tempo integral em todo o país até 2014, é um reflexo do atraso do Brasil.  Isso porque, na avaliação dele, o país já deveria ter escola em tempo integral há muito tempo.

Para o senador, o debate sobre a proposta é uma prova de que os governos Fernando Henrique, Lula e Dilma Rousseff conseguiram melhorar algumas coisas no Brasil, mas não fizeram verdadeiras mudanças.

Como exemplo, ele disse ter sido importante o aumento do número de alunos no ensino superior, graças a medidas do governo Lula. O problema, segundo Cristovam Buarque, é que muitos dos estudantes não conseguem terminar o curso e se formar porque carregam deficiências do ensino básico. Essas falhas precisam ser corrigidas, advertiu:

— Não se consegue fazer com que aumente radicalmente o número de alunos que se formam, e nem mesmo que se formem com muita qualidade. Por que? Porque eles entram com deficiência e entram com deficiência porque não temos o horário integral. E sem ficar seis horas na escola as crianças não aprendem o que é necessário no mundo moderno. Além disso, no mundo de hoje, a escola é tanto para ensinar quanto para tirar da rua.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)