Dona Maria Rondon vai dar nome a Espaço do Servidor do Senado

Simone Franco | 31/03/2015, 14h36

O Espaço do Servidor do Senado, onde existe uma praça de alimentação, deverá receber o nome de dona Maria Rondon, ex-servidora que atuou na Casa por 40 anos (1946 a 1986). A homenagem partiu de projeto de resolução do Senado (PRS 34/2014), de iniciativa do então senador Rodrigo Rollemberg, aprovado nesta terça-feira (31) pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE). A matéria segue agora para exame da Comissão Diretora.

Ao justificar a proposta, Rollemberg assinalou a importância dos servidores do Senado para as atividades e história da instituição. Sobre a trajetória profissional de Maria Rondon na Casa, ressaltou ter ela exercido — por 26 anos — a direção do setor de recursos humanos. O incentivo à capacitação dos servidores durante sua gestão foi apontado ainda como embrião do atual Instituto Legislativo Brasileiro (ILB).

“A justa homenagem à servidora dona Maria Rondon é também uma homenagem que se presta a todos os servidores do Senado”, considerou a relatora, senadora Ângela Portela (PT-RR), no parecer favorável ao PRS 34/2014.

A iniciativa foi elogiada também pela vice-presidente da CE, senadora Fátima Bezerra (PT-RN), e pela senadora Simone Tebet (PMDB-MS). Simone chegou a sugerir, inclusive, que a comissão recomende à Mesa do Senado elaborar um projeto de resolução para denominação de todos os espaços internos da Casa exclusivamente com nomes de servidores efetivos.

Estudantes

Apesar de abrir a pauta de votações da CE nesta terça-feira (31), foi adiado o exame de projeto de lei (PLS 224/2012) do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) que obriga beneficiários de bolsas de estudo em programas financiados pela União — como o Ciência sem Fronteiras — a retribuir com a prestação de serviços em estabelecimentos públicos de educação básica.

O motivo do adiamento foi a ausência da relatora, senadora Ana Amélia (PP-RS), que defende a aprovação da proposta com ajustes. Ela apresentou subemenda ao texto original para melhor definir o público alvo desta exigência. Seria, assim, o estudante participante de programa federal de iniciação científica, de iniciação à docência e de intercâmbio, independentemente de estar vinculado a uma universidade pública ou privada.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)