Lido requerimento para criar CPI de colocação irregular e superfaturamento de próteses

Da Redação | 27/02/2015, 10h57 - ATUALIZADO EM 27/02/2015, 15h26

O senador Paulo Paim (PT-RS) leu em Plenário, nesta sexta-feira (27), o requerimento de criação de uma comissão parlamentar de inquérito para investigar denúncias de crimes relacionados a procedimentos médicos na colocação de próteses e órteses, apresentadas pelo programa Fantástico, da TV Globo.

O requerimento havia sido apresentado à Mesa do Senado na quinta-feira (26) pelo senador Magno Malta (PR-ES), que classificou de repugnante a notícia de que existe uma máfia atuando no país em detrimento da saúde dos pacientes. "Os médicos mafiosos indicavam procedimentos desnecessários só para auferir comissões generosas, de até 30% sobre produtos médico-hospitalares comprados com preços superfaturados", afirmou o senador.

Segundo o parlamentar, foram relatados ainda uso de produtos irregulares, em quantidade inadequada e até dano proposital às próteses para obrigar sua substituição, gerando mais gastos e comissões irregulares. "Difícil encontrar adjetivos para descrever condutas tão abjetas", afirma em seu requerimento.

A CPI deve ter sete senadores titulares e cinco suplentes e tem prazo de duração de 180 dias. A Presidência do Senado fará, as designações dos integrantes de acordo com as indicações que receber das lideranças partidárias.

Este foi o segundo pedido de CPI lido em Plenário nesta sexta-feira. Momentos antes, o senador Paulo Paim havia lido requerimento referente à criação da CPI do HSBC.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)