Senado entrega Diploma José Ermírio de Moraes a empresários de destaque

Teresa Cardoso | 20/05/2014, 14h55

Numa sessão especial conduzida pelo senador Jorge Viana (PT-AC), o Senado fez a entrega, nesta terça-feira (20), do Diploma José Ermírio de Moraes, uma homenagem que a instituição presta aos empresários e empresas que, em suas práticas industriais, são referência em produção, responsabilidade social, cultural e ambiental, na contribuição para o desenvolvimento nacional.

Receberam a premiação o presidente do Conselho de Administração da empresa Baterias Moura, Edson Viana Moura; o agropecuarista Orcino Gonçalves da Silva Júnior; e o diretor do Grupo Edson Queiroz, José Edilmar Norões Coelho, representando a senhora Yolanda Vidal Queiroz.

Ao iniciar a sessão, o primeiro-vice-presidente da Câmara, Jorge Viana, afirmou que o diploma integra o rol das distinções conferidas pelo Senado a expoentes da cidadania. Ele disse que todos os prêmios da Casa tem o intuito de, além de homenagear pessoas e instituições, servir de exemplo de desempenho e de engajamento da Casa em causas nobres.

– Procuramos identificar empresas e personalidades que são referências em nossa sociedade. Hoje aqui nos reunimos com muito satisfação e orgulho para a entrega da quinta edição do diploma destinado e enaltecer e valorizar aqueles que são as locomotivas do desenvolvimento brasileiro, contribuindo com a economia nacional, com o desenvolvimentos sustentável e com o progresso do país – disse Viana.

Ao discursar na solenidade, o presidente do Conselho do Diploma José Ermírio de Moraes, Armando Monteiro (PTB-PE), fez uma reflexão sobre o momento vivido pela indústria brasileira, dizendo que não se pode aceitar que o país desmonte um patrimônio construído pelo trabalho de gerações de empreendedores. Ele recomendou a construção de uma agenda pró-competitividade.

- Uma agenda que traduza uma aliança entre o setor público e o setor privado, o qual não reclama proteção e muito menos quer pactuar com a ineficiência. O que o setor privado deseja é que através de uma aliança cooperativa, nós possamos atuar juntos para reduzir custos sistêmicos e para ajudar os ganhos de produtividade que serão fundamentais para a sobrevivência da indústria brasileira.

No mesmo discurso, Armando Monteiro clamou por um sistema de educação mais eficiente, que torne o trabalhador mais produtivo, dizendo que "crescer pela indústria é sempre melhor, pois não há melhor maneira de crescer a não ser pela indústria".

- O que não podemos aceitar é que o Brasil possa viver uma espécie de aventura regressiva. Um país que construiu pelo trabalho de gerações uma das mais importantes plataformas manufatureiras da América Latina, este país não pode assistir o desmonte desse ativo que é um patrimônio do país. O Brasil está sofrendo um processo regressivo na medida em que se está reprimarizando a pauta de exportação do país. O país voltou a ser um exportador de commodities agrícolas e minerais, e as manufaturas vão perdendo cada vez mais espaço nas exportações brasileiras.

"Reconhecimento a quem merece"

Vice-presidente do Conselho do Diploma José Ermírio de Moraes, o senador José Agripino (DEM-RN) elogiou o trabalho do senador Armando Monteiro na condução da comissão incumbida da escolha dos homenageados. E disse que esse é um prêmio oferecido pela Casa que representa a federação.

- Os senhores são escolhidos pelos votos dos senadores. A conquista do prêmio é resultado de uma votação individual de cada senador. Não tem ninguém do Rio de Janeiro nem de São Paulo neste ano. São um empresário de Pernambuco, um agropecuarista de Goiás e uma mulher símbolo, que é a dona Yolanda, diretora-presidente do grupo Edson Queiroz. A Casa da federação escolhe empresas que significam orgulho nacional. De modo que o prêmio José Ermirio de Moraes significa reconhecimento a quem merece ser reconhecido.

A senadora Lucia Vânia (PSDB-GO) também discursou, dizendo que Goiás é o estado que mais cresce no país e o que mais gera emprego e renda. “Esse desempenho acima da média nacional é também resultado de talentos”, disse ela, ao homenagear o  agropecuarista Orcino Gonçalves da Silva Junior.

O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) disse que são exemplos como o de Yolanda Vidal Queiroz que fazem com que as mulheres hoje participem fortemente da gestão de empresas, totalizando 42% do empresariado, conforme indicadores colhidos há mais de três anos e meio no mercado nordestino pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Eunício Oliveira assinalou que não adianta o Ceará e o Nordeste apresentarem indicadores de desenvolvimento acima da média nacional nos últimos anos, quando o fundamental é o investimento em educação.

- É muito importante que nossas cidades recebam novos investimentos externos, tanto de empresas nacionais como estrangeiras. Entretanto, para que esse bom momento seja duradouro, consistente e sustentável, é preciso que tenhamos investimentos em educação. Somente com novos conhecimentos científicos e tecnológicos é que vamos gerar produtividade para as nossas empresas, para os nossos serviços, para as atuais e para as futuras gerações. Estou falando, portanto, de qualidade de vida, de geração de renda e de recursos que revertem em novos investimentos - disse Eunício.

Os senadores Inacio Arruda (PCdoB-CE) e Cyro Miranda (PSDB-GO) também elogiaram o espírito de iniciativa desses empresários e defenderam a indústria brasileira como uma questão fundamental para o avanço do país.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: