Cristovam diz que o Brasil deveria permitir candidaturas sem partido político

Da Redação | 23/09/2013, 19h05

Em discurso nesta segunda-feira (23), o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) disse que o Brasil deveria permitir a candidatura de pessoas que não sejam filiadas a partidos políticos.

A proposta (PEC 7/2012), de sua autoria, que permite a “candidatura desvinculada de filiação partidária”, tramita na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), onde recebeu parecer contrário do relator Humberto Costa (PT-PE).

Cristovam iniciou seu pronunciamento comentando o discurso do colega Pedro Simon (PMDB-RS), sobre as dificuldades enfrentadas pela ex-senadora Marina Silva para viabilizar a legalização do partido Rede Sustentabilidade. Cristovam disse torcer para que a legenda possa ser criada sem que se desrespeite a legislação vigente.

Para o senador, o país deveria adotar a candidatura avulsa ou independente, como já fazem França, Estados Unidos e Chile, exemplificou. Cristovam defendeu sua proposta afirmando que a grande maioria dos partidos políticos brasileiros está obsoleta e “não reflete o que as pessoas querem hoje”.

A PEC de Cristovam estabelece que o candidato avulso deverá reunir um número mínimo de assinaturas de eleitores que apoiem sua candidatura. Só com esse apoio mínimo o candidato poderá efetivar sua candidatura junto à Justiça Eleitoral.

- Hoje não é livre a eleição que dá monopólio aos partidos na apresentação de candidatos ao eleitorado – afirmou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:

Senado Agora
12h01 Capital do surfe: O município de Saquarema (RJ) pode receber o título de Capital Nacional do Surfe. O PL 2.173/2019 foi aprovado na Comissão de Educação e segue para o Plenário.
11h49 Cinema independente: A Comissão de Educação aprovou projeto que estende até 2024 incentivos fiscais para produções audiovisuais independentes. O PL 5.231/2019 segue para análise terminativa da CAE.
11h35 Alienação Parental: Comissão de Direitos Humanos aprova o Projeto de Lei do Senado 498/2018 que revoga a Lei de Alienação Parental (Lei 12.318, de 2010). Matéria segue para a CCJ.
Ver todas ›