Partido nasceu em 1922 como seção da Internacional Comunista

Raíssa Abreu | 26/03/2012, 21h13

O Partido Comunista do Brasil, organização de esquerda baseada nos princípios do marxismo-leninismo, foi fundado em março de 1922, na cidade de Niterói (RJ). Nasceu com o nome de Partido Comunista - Seção Brasileira da Internacional Comunista (PC-SBIC). Do congresso de fundação participaram barbeiros, jornalistas, eletricistas, alfaiates, sapateiros e outros representantes dos trabalhadores urbanos. Em 1962, após um período de cisão, foi reorganizado em São Paulo, dessa vez rompido com a Internacional Comunista e já sob a sigla PCdoB.

Ao longo de sua trajetória, o partido atuou por longos períodos na clandestinidade, o que não o impediu de exercer grande influência sobre organizações estudantis, como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União da Juventude Socialista (UJS). Com o fim da ditadura militar, alcançou definitivamente a legalidade.

Atualmente, sob a bandeira de “um Brasil socialista, um país verdadeiramente democrático e soberano”, o partido conta com dois senadores – Inácio Arruda (CE) e Vanessa Grazziotin (AM) –, 14 deputados federais, 18 deputados estaduais, 42 prefeitos e 608 vereadores.

O partido apoiou todas as candidaturas à Presidência da República de Luiz Inácio Lula da Silva desde 1989. Faz parte da base do governo Dilma Rousseff, em que está representado pelo ministro dos Esportes, Aldo Rebelo.

É marcante na história do partido sua atuação na chamada Guerrilha do Araguaia, no início da década de 70. Na ocasião, militantes que vinham organizando a luta armada na fronteira dos estados do Pará, Tocantins e Maranhão para enfrentar a ditadura militar entraram em confronto com agentes do Estado.

Até hoje, não se sabe o saldo de mortos da operação do Exército, pois muitos dos corpos nunca foram encontrados. Por esse motivo, o PCdoB é um dos maiores defensores da Comissão da Verdade, cuja implantação foi aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional. A comissão, ainda não instalada, vai apurar a ocorrência de violação de direitos humanos no período.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: