Para Jorge Viana, código transforma floresta em ativo econômico

Da Redação | 07/12/2011, 14h10

Ao analisar o projeto de novo Código Florestal aprovado na noite de terça-feira (6) em Plenário, o senador Jorge Viana (PT-AC) disse considerar que o texto que volta à Câmara reúne as condições necessárias para transformar as florestas brasileiras em ativos econômicos. O parlamentar, que dividiu com Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC) a relatoria do texto, acredita que as mudanças feitas pelos senadores resultarão em nova dinâmica para exploração da floresta em pé.

- O Brasil precisa de uma radical reestruturação de gestão florestal. Estados e municípios terão, caso o texto aprovado no Senado seja transformado em lei, de se reorganizar para trazer floresta de volta. Em aliança com produtores rurais, será possível transformar nossas florestas num dos mais importantes ativos econômicos do país.

Jorge Viana se disse confiante de que o novo código contribuirá para o crescimento econômico do país, gerando empregos para responder às demandas de reflorestamento que surgirão com a nova lei. Ele também destacou os incentivos econômicos incluídos no texto, que visam remunerar agricultores que conservam matas nativas e para incentivar a recuperação de áreas desmatadas.

Ele lembrou que o projeto aprovado prevê mecanismos de premiação proporcionais ao cumprimento da legislação florestal, com vantagens maiores para os aqueles que seguiram a lei ou foram além das obrigações mínimas para áreas protegidas.

Tramitação na Câmara

Por conta das mudanças feitas pelos senadores, o projeto volta à Câmara. Jorge Viana acredita que os deputados devem manter o texto aprovado pelo Senado.

- Boa parte dos que defendem o setor rural entenderam que o Brasil precisava de um equilíbrio entre as necessidades do setor produtivo e as necessidades de preservação ambiental - observou ele.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: