Inviolabilidade das urnas eletrônicas é alvo de polêmica

10/08/2018, 19h06 - ATUALIZADO EM 25/09/2018, 16h54

Selo_Eleições_2018A possibilidade de as urnas eletrônicas serem vulneráveis a ataques de hackers que poderiam mudar a destinação dos votos ainda assusta eleitores, especialistas em tecnologia da informação e parlamentares. O Tribunal Superior Eleitoral alega que não há risco para a segurança do voto. O Congresso Nacional, por sua vez, já decidiu que o voto do eleitor precisa ser impresso pela urna eletrônica e depositado em um recipiente lacrado. Dessa forma, caso haja algum questionamento, os votos impressos poderiam ser contados e conferidos com o resultado da votação eletrônica. Mas o Supremo Tribunal Federal derrubou a exigência da impressão com o argumento de que isso fere o sigilo do voto. A determinação do STF, no entanto, não acabou com a polêmica. Mais informações com o repórter Maurício de Santi, da Rádio Senado.



Opções: Download


Senado Agora
12h01 Homenagem ex-senador Luiz Henrique: Senado aprovou Projeto de Resolução 50/2018 que denomina o espaço do cafezinho dos senadores “Sala Senador Luiz Henrique da Silveira”.
11h34 Acordos internacionais: Plenário do Senado aprovou acordos de trocas de informações tributárias entre Brasil e Suíça e entre Brasil e Reino Unido.
11h25 Defesa Nacional: O plenário do Senado aprovou projeto (PDS 137/2018) que aprova a Política Nacional de Defesa, a Estratégia Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa Nacional.
Ver todas ›