Senadores comentam inclusão do fim do imposto sindical na reforma trabalhista

04/05/2017, 18h26 - ATUALIZADO EM 09/05/2017, 15h24

A inclusão do fim do imposto sindical no projeto de reforma trabalhista (PLC 38/2017) foi comemorada pelo senador Sérgio Petecão (PSD-AC). Ele afirmou que os sindicatos usam os recursos públicos para atender a interesses privados. A senadora Regina Sousa (PT-PI), no entanto, afirmou que o dinheiro do imposto sindical não é público. Segundo ela, a arrecadação é usada em favor dos trabalhadores representados pelos sindicatos. A contribuição é descontada anualmente e correspondente à remuneração de um dia normal de trabalho. Petecão é autor de um projeto (PLS 385/2016) que define o imposto como obrigatório apenas para trabalhadores filiados aos sindicatos, e não para todos aqueles que fazem parte de uma categoria econômica, como obriga a CLT. O texto está em análise na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), como mostra a reportagem de Thiago Melo, da Rádio Senado.



Opções: Download