Plenário aprova operação de crédito de até US$ 52 milhões para Manaus

Da Redação | 17/05/2017, 18h48 - ATUALIZADO EM 17/05/2017, 20h59

O Senado aprovou nesta terça-feira (17) o Projeto de Resolução do Senado (PRS) 17/2017 que autoriza operação de crédito externo em benefício da cidade de Manaus, no Amazonas. O projeto direciona o uso do empréstimo para a construção de escolas e creches.

A operação de crédito externo entre Manaus e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) será de até US$ 52 milhões e seus recursos serão destinados a financiar parcialmente o projeto de expansão e melhoria educacional da rede pública municipal, o Proemem.

Segundo o senador Eduardo Braga (PMDB-AM), autor do pedido de urgência para votação da proposta em Plenário, o financiamento tem por objetivo expandir a cobertura e melhorar a qualidade da educação infantil e o ensino fundamental.

A concessão de crédito possibilitará a abertura de 6,5 mil novas vagas para a pré-escola e 1,2 mil vagas em creches, com a construção de sete creches, 13 centros municipais de educação infantil e 13 escolas de ensino fundamental.

Já a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) destacou a situação de disponibilidade das creches para a população em Manaus.

— Manaus eu acho que está entre as cidades do Brasil, as capitais principalmente, que menos vagas em creches públicas oferece — afirmou.

A senadora lembrou também o programa Brasil Carinhoso de 2012 que transferia recursos financeiros para a educação infantil. Vanessa julgou a iniciativa como pouco eficiente e disse estar esperançosa quanto as melhorias no apoio às creches que o crédito aprovado permitirá.

Preocupação

A questão dos empréstimos externos e o que representam, contudo, é um fator de preocupação para o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO).

— Esse Congresso Nacional, especialmente o Senado Federal, tem que ter muita responsabilidade no aval desses empréstimos no país, porque nós já devemos, e já ultrapassou os R$ 500 bilhões. Se nós continuarmos batendo o carimbo e aprovando esses empréstimos eu não sei aonde é que nós vamos parar um dia — declarou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)