Comissões

Semana de combate ao trabalho escravo terá atividades online

02:17Semana de combate ao trabalho escravo terá atividades online

Transcrição LOC: O 13 DE MAIO, DIA DA ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA NO BRASIL, SERÁ CELEBRADO EM EVENTOS ONLINE POR CAUSA DA PANDEMIA DE COVID-19. LOC: A SEMANA ORGANIZADA PELA PASTORAL DA TERRA ABORDA, DESDE SEGUNDA-FEIRA, TEMAS PARA CONSCIENTIZAR SOBRE O TRABALHO ESCRAVO CONTEMPORÂNEO. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. TÉC: Abolida oficialmente há 132 anos, a escravidão se apresenta sob novas formas. Só em 2019, foram resgatados 1.054 trabalhadores em condições análogas à de escravo, informa a Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia. Os empregadores são registrados na lista suja do trabalho escravo, divulgada na página da Secretaria do Trabalho. E é este o alerta que a Comissão Pastoral da Terra faz durante a semana que celebra a abolição da escravatura. Com o tema “De olho aberto para não virar escravo”, a comissão realiza a Semana de Comunicação de Combate ao Trabalho Escravo. A ideia é conscientizar as pessoas sobre a existência desta realidade, que acontece tanto em áreas rurais como em centros urbanos. Nos últimos 25 anos foram resgatadas quase 55 mil pessoas em situação de trabalho degradante, informou o presidente da Comissão de Direitos Humanos, senador Paulo Paim, do PT gaúcho. Ele alerta sobre a possibilidade de aumento do trabalho escravo com a pandemia de covid-19. (Paulo Paim): “Infelizmente, o trabalho escravo é uma realidade no Brasil. Com a pandemia, a tendência é aumentar o trabalho escravo, no desespero, na fome e na miséria pessoas vão se sujeitar a qualquer tipo de atividade e aí aumenta a exploração”. (Rep): O senador Paim criticou a falta de auditores fiscais do trabalho para inspecionar todo o território brasileiro. (Paulo Paim): “O déficit, então, é de 1.544 cargos de auditor fiscal do trabalho, o maior dos últimos 25 anos. As vagas existem, mas o governo não realiza concurso. Enfim, infelizmente, o trabalho escravo aumenta, o número de fiscais diminui e o desespero a população se submete a qualquer situação para poder ganhar, praticamente, o correspondente à alimentação. Isso é desumano, é inaceitável”. (Rep): Entre as atividades da Comissão Pastoral da Terra está prevista uma live, uma transmissão ao vivo para questionar o tema “O trabalho escravo ainda tem cor?”. Toda a programação da semana pode ser acessada na página da Comissão Pastoral da Terra na internet. Da Rádio Senado, Iara Farias Borges.

Só em 2019, foram resgatados 1.054 trabalhadores em condições análogas à de escravo. Nesta semana, durante as atividades que celebram o 13 de maio, dia da abolição da escravatura no Brasil, o trabalho escravo contemporâneo terá destaque. Com o tema “De olho aberto para não virar escravo”, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) realiza a Semana de Comunicação de Combate ao Trabalho Escravo com transmissões online, por causa da pandemia de covid-19. Na quarta-feira (13), uma transmissão ao vivo vai questionar “O trabalho escravo ainda tem cor?”. Ao criticar a falta de auditores fiscais do trabalho, o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), senador Paulo Paim (PT-RS) alertou para a possibilidade de aumento do trabalho escravo com a pandemia de covid-19. Reportagem, Iara Farias Borges.

TÓPICOS:
CDH  Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa  Comissões  Comunicação  covid-19  Direitos Humanos  Economia  Internet  pandemia  pandemia de covid-19  PT  Senador Paulo Paim  Trabalho  Trabalho Escravo 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo