Brumadinho

CPI pede quebra de sigilo de engenheiro que atestou segurança de barragem

01:58CPI pede quebra de sigilo de engenheiro que atestou segurança de barragem

Transcrição LOC: DIANTE DO SILÊNCIO DOS ENGENHEIROS QUE ATESTARAM A SEGURANÇA DA BARRAGEM DA VALE, INTEGRANTES DA CPI DE BRUMADINHO PEDIRAM A QUEBRA DE SIGILO BANCÁRIO E FISCAL DE UM DELES. LOC: LIMINARES CONCEDIDAS PELO STF GARANTIRAM DIREITO DE FICAREM CALADOS DURANTE DEPOIMENTO À COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO. PRESIDENTE DA COMISSÃO DIZ QUE VAI RECORRER. A REPORTAGEM É DE MARCELA DINIZ. TÉC: Amparados por liminares em habeas corpus concedidas pela ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, os engenheiros Makoto Namba e André Yassuda, da empresa Tüv Süd, ficaram em silêncio na CPI de Brumadinho. Os dois são investigados na ação sobre a tragédia e chegaram a ser presos temporariamente, pois assinaram laudos atestando a estabilidade da barragem da Vale que se rompeu em 25 de janeiro. Em depoimento à Polícia Federal, Makoto Namba afirmou ter sido pressionado a assinar o documento. O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito, senador Carlos Viana, do PSD de Minas Gerais, questionou Namba sobre o assunto, mas não obteve resposta: (Viana) O sr. diz que se sentiu pressionado por afirmações do sr. Alexandre Campanha. O sr. confirma que se sentiu pressionado pela Vale para assinar o laudo? (Namba) Excelência, eu vou me manter em silêncio. (Rep) O gerente de geotecnia corporativa da Vale, Alexandre Campanha, negou ter feito pressão para a assinatura do laudo de segurança: (Campanha) Nunca pressionei o sr. Makoto, nunca fiz nenhuma pressão a nenhum funcionário da Tüv Süd, nunca participei de nenhuma reunião isolada com nenhum funcionário da Tüv Süd. (Rep) A presidente da CPI, senadora Rose de Freitas, do Podemos do Espírito Santo, comunicou que irá recorrer da decisão liminar do STF, para que os auditores da Tüv Süd sejam ouvidos pelos parlamentares: (Rose) Sendo negado ou não, nos cabe realmente fazer um recurso para que seja revista a decisão liminar do STF. (Rep) O senador Jorge Kajuru, do PSB de Goiás, pediu, em requerimento conjunto com a senadora Juíza Selma, do PSL de Mato Grosso, quebra de sigilos e acesso aos dados bancários e telefônicos de Makoto Namba: Eu vou querer ter acesso a esse sigilo telefônico e bancário dele porque é a única forma de a gente saber alguma coisa dele. (Rep) O requerimento de quebra de sigilo e acesso a dados bancários e telefônicos do engenheiro Makoto Namba deverá ser votado na próxima reunião deliberativa da CPI. Da Rádio Senado, Marcela Diniz.

Com liminares concedidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), os engenheiros Makoto Namba e André Yassuda, da empresa Tüv Süd, ficaram em silêncio na CPI de Brumadinho. A presidente da CPI, senadora Rose de Freitas (Pode-ES), comunicou que irá recorrer da decisão liminar do STF e os senadores Jorge Kajuru (PSB-GO) e Juíza Selma (PSL-MT) pediram a quebra de sigilos e acesso aos dados bancários e telefônicos de Makoto Namba. A reportagem é de Marcela Diniz.

TÓPICOS:
Comissão Parlamentar de Inquérito  CPI  Espírito Santo  Goiás  Mato Grosso  Minas Gerais  Podemos  Polícia Federal  PSB  PSD  PSL  Quebra de Sigilo  Rosa Weber  Segurança  Senador Carlos Viana  Senador Jorge Kajuru  Senadora Rose de Freitas  Supremo Tribunal Federal 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo