Senado cassa mandato de Delcídio do Amaral por 74 a 0 — Rádio Senado
Plenário

Senado cassa mandato de Delcídio do Amaral por 74 a 0

10/05/2016, 21h52 - ATUALIZADO EM 10/05/2016, 21h52
Duração de áudio: 02:06
Jefferson Rudy/Agência Senado

Transcrição
LOC: POR 74 FAVORÁVEIS, NENHUM CONTRA, E UMA ABSTENÇÃO, OS SENADORES APROVARAM A CASSAÇÃO DO MANDATO DE DELCÍDIO DO AMARAL, DE MATO GROSSO DO SUL. LOC: NEM DELCÍDIO, NEM SEUS ADVOGADOS COMPARECERAM À SESSÃO PARA FAZEREM A DEFESA. OUÇA OS DETALHES COM A REPÓRTER PAULA GROBA. (Repórter) Para o relator do processo contra Delcídio no Conselho de Ética, senador Telmário Mota, do PDT de Roraima, ao obstruir a justiça, o senador abusou de suas prerrogativas constitucionais oferecendo vantagens e uma possível rota de fuga a Nestor Cerveró. Na avaliação de Telmário, após a análise do caso, não há dúvidas de que Delcídio cometeu irregularidades graves, incompatíveis com a ética e com o decoro parlamentar. (Telmário Mota) A relatoria no Conselho de Ética analisando a transcrição do diálogo e tendo em vista a confissão do próprio Delcídio do Amaral entendeu não restar dúvida de que o representado participou de uma reunião com a finalidade de propor medidas que certamente iriam obstruir a justiça o que configura claramente quebra de decoro parlamentar. (Repórter) O relator na Comissão de Constituição e Justiça, Ricardo Ferraço, do PSDB do Espírito Santo, ratificou as conclusões do Conselho de Ética e declarou que não houve qualquer vício ou inconstitucionalidade no processo contra Delcídio do Amaral. Para o senador Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, um dos partidos que homologou a representação contra Delcídio, os atos do parlamentar atingiram gravemente a imagem do Senado. (Randolfe Rodrigues) A dignidade do Senado Federal foi afrontada e atingida pelo comportamento do representado, senador Delcídio do Amaral. Poucos momentos da história esta casa viveu um momento de tamanho constrangimento. (Repórter) Apesar de ter direito a se pronunciar durante a sessão, nem Delcídio, nem seus advogados compareceram. O presidente do Senado, Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, então nomeou o consultor geral do Senado, Danilo Aguiar, para proferir a defesa. Dos senadores presentes em Plenário, apenas o presidente Renan Calheiros e a senadora Maria do Carmo Alves, do Democratas de Sergipe, não votaram. Já o senador João Alberto Sousa, do PMDB do Maranhão, presidente do Conselho de Ética, se absteve em seu voto. Com a cassação de Delcídio do Amaral, quem assume a vaga no Senado é Pedro Chaves Filho, do PSC.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00