Governistas querem adiar LDO para dar seguimento ao processo de impeachment — Rádio Senado
Política

Governistas querem adiar LDO para dar seguimento ao processo de impeachment

07/12/2015, 19h26 - ATUALIZADO EM 08/12/2015, 11h14
Duração de áudio: 02:01
Pedro França/RadioAgência

Transcrição
LOC: GOVERNISTAS QUEREM ADIAR A VOTAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS PARA DAR ANDAMENTO AO PROCESSO DE IMPEACHMENT CONTRA A PRESIDENTE DILMA. LOC: O PRESIDENTE DO SENADO DEVE DISCUTIR SE HAVERÁ OU NÃO A SUSPENSÃO DO RECESSO PARLAMENTAR COM OS LÍDERES NESTA TERÇA-FEIRA. A REPORTAGEM É DE HERICA CHRISTIAN. (Repórter) A presidente Dilma Rousseff poderá pedir a convocação do Congresso Nacional para dar andamento ao processo de impeachment contra ela. Oficialmente, o recesso parlamentar do final do ano começa no dia 23 de dezembro e se encerra no dia primeiro de fevereiro. As outras duas possibilidades de suspensão dos trabalhos são as de autoconvocação pelos presidentes da Câmara e do Senado e por requerimento assinado por 257 deputados e 41 senadores. Sem descartar essas possibilidades, que precisam de aprovação do Plenário das duas Casas, o líder do governo no Congresso Nacional, senador José Pimentel, do PT do Ceará, disse que outra estratégia poderá ser a não votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias, que impediria o recesso. (José Pimentel) De 1995 para cá, a regra geral é não votar a LDO nem o Orçamento no ano anterior da sua vigência. O Brasil não compreenderá como o Congresso Nacional não resolva essa questão do impeachment, que traz impacto direto para a nossa economia e resolva tirar férias. (Repórter) Ao defender o recesso parlamentar, o segundo vice-presidente do Senado, Romero Jucá, do PMDB de Roraima, declarou que a não votação da LDO só suspende o recesso de julho. (Romero Jucá) É um projeto que precisa ser aprovado até o meio do ano para ajudar o governo na confecção da peça orçamentária que tem que ser entregue até o dia 31 de agosto. Portanto, passado 31 de agosto, a LDO não tem mais um posicionamento primordial para nortear o Orçamento. Portanto, há esse óbice de se não votar a LDO não haverá o final do exercício. (Repórter) O presidente do Senado, Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, deve se reunir nesta semana com os líderes para discutir a suspensão ou não do recesso parlamentar.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00