Romero Jucá defende criação de novo mecanismo para financiar o setor — Rádio Senado

Romero Jucá defende criação de novo mecanismo para financiar o setor

O LÍDER DO GOVERNO NO SENADO, ROMERO JUCÁ, DO PMDB DE RORAIMA, DEFENDEU A CRIAÇÃO DE UM NOVO MECANISMO PARA FINANCIAR A SAÚDE. MAS A IDEIA ENFRENTA A RESISTÊNCIA DE PARTIDOS DE OPOSIÇÃO, COMO O PSDB. Em entrevista ao programa Cidadania, da TV Senado, o líder do governo, senador Romero Jucá, defendeu a necessidade de uma reforma para simplificar o modelo tributário brasileiro. Segundo o senador, qualquer mudança no setor precisa contar com o aval dos governadores, já que boa parte dos impostos é cobrada pelos estados. Romero Jucá listou alguns pontos que devem fazer parte da reforma tributária, entre os quais está a criação de uma nova fonte de financiamento para a saúde, em substituição à CPMF: (ROMERO JUCÁ): Uma coisa é certa. Tem que acabar com a guerra fiscal. Tem que simplificar a forma de cobrar tributos. Nós temos que ampliar a base para que todos paguem. E todos pagando, todos pagarão menos. E nós temos que discutir também nessa reforma tributária um financiamento para a área da saúde, que com o fim da CPMF ficou desfalcada. Sem dúvida nenhuma a saúde pública do Brasil é um grande desafio, é um grande problema, e nós temos que equacionar esse problema. (MAURÍCIO): A ideia desagradou a Oposição. O senador Aloysio Nunes, do PSDB de São Paulo, lembrou que o Senado acabou com a CPMF em dezembro de 2007. E ele promete resistir à recriação do imposto: (ALOYSIO NUNES): Foi a Oposição a vanguarda do movimento ocorrido aqui no Senado que levou à derrubada da CPMF. O Governo,se conseguir impor o seu salário mínimo, terá, logo em seguida, um movimento que consistirá na busca de uma nova fórmula para o financiamento à saúde, o que implicará na recriação, ainda que sob outro nome, deste tributo. A Oposição existe para, entre outras coisas, reclamar ou fazer ecoar no Congresso a voz daqueles que reclamam. (MAURÍCIO): A proposta de reforma tributária está em fase de discussão dentro do governo. O líder Romero Jucá disse que a presidente Dilma Rousseff avalia o que é mais viável: encaminhar um projeto amplo ou fatiar a reforma em várias propostas.
15/02/2011, 05h03 - ATUALIZADO EM 15/02/2011, 05h03
Duração de áudio: 01:59
Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00